Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Utilização de Bioindicadores em Monitoramento de Poluição

DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n2p169-178

http://periodicos.unifap.br/index.php/biota/index 

downloadpdf

Erica S. Maki1, Ricardo Shitsuka2, Carlos H. Barroqueiro3 & Dorlivete M. Shitsuka4

 

Resumo: A poluição atmosférica é um dos problemas ambientais da humanidade e acende a preocupação com a sustentabilidade. Esse problema tem se agravado e provocado efeitos prejudiciais ao ambiente e à saúde da população. Como a poluição não pode ser completamente eliminada é preciso de seja monitorada. Os bioindicadores estão entre os métodos de medição de qualidade ambiental. Eles podem indicar a presença de poluentes atmosféricos tais como os compostos orgânicos de carbono, enxofre, halogenados, nitrogênio e material particulado. O objetivo deste estudo é apresentar uma revisão bibliográfica dos trabalhos disponíveis envolvendo bioindicadores vegetais no biomonitoramento da poluição atmosférica, de modo a realizar o levantamento das espécies utilizadas como bioindicadores, os meios de detecção dos poluentes e as técnicas utilizadas. Foram relacionadas 19 espécies nos 27 estudos, sendo que 16 espécies pertencentes à Divisão Angiospermae, 1 gênero à divisão Bryophyta, e 2 espécies de líquens. Os resultados obtidos apontam para uma grande diversidade de espécies, mostrando que há potencial de aplicação desses em biomonitoramento.

Palavras-chave: Bioindicadores vegetais, Poluição atmosférica, Biomonitoramento.

 

Abstract: Air pollution is one of the environmental problems of humanity and sparks concern on sustainability. This problem has worsened and caused harmful effects to the environment and people's health. As pollution can not be completely eliminated, it is necessary to be monitored. The bioindicators are amongst the methods of measuring environmental quality. They may indicate the presence of air pollutants such as compounds of carbon, sulfur, halogen, nitrogen and particulate matter. The aim of this study is to present a review of articles involving bioindicators in biomonitoring of air pollution. In order to carry out the survey of the species used as bioindicators, ways for detecting pollutants and their techniques. There were listed 19 species in 27 studies, with 16 species belonging to the Division Angiospermae, one genere to Bryophyta, and 2 species of lichens. The results point to a great diversity of species, showing that there is potential for application of biomonitoring.

Key words: Vegetal bioindicators, Air pollution, Biomonitoring.

 

1 Bióloga pela UNIFESP. Pós-graduada em Gestão Ambiental pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Endereço: Rua Martin Francisco, 604 – B. Santa Cecília – São Paulo/SP. Contato: ericasmaki@hotmail.com
2 Cirurgião Dentista. Mestre em Engenharia. Doutor em Ensino de Ciências, professor adjunto na Universidade Federal de Itajubá – UNIFEI/Itabira. Endereço: Rua São Paulo, 377 – ITEC – 35900-373 – Itabira/MG. Contato: ricardoshitsuka@unifei.edu.br.
3 Doutor em Ensino de Ciências atuando no Instituto Federal de São Paulo – IFSP. Endereço: Rua Amaral Gama, 349 ap.61 – São Paulo/SP. Contato: carhenbar@hotmail.com
4 Mestre em Ensino de Ciências. Professora no Centro Universitário Claretiano – CEUCLAR. Endereço: Rua Major Sertório, 377 ap.2B – V. Buarque – 01222-001 - São Paulo/SP. Contato: dorlivete@uol.com.br

  

Literatura Citada

ALMEIDA, Vanusa S. Alterações nos teores de enxofre e de metabólitos indicadores de estresse em árvores adultas de Mangifera indica L. Cv. Espada expostas àpoluição Aérea e edáfica, na região do pólo petroquímico de Camaçari/BA. Dissertação (Mestrado). Univ. Federal da Bahia. Salvador, 2000.

ALVES, E. S. et al. Estudo anatômico foliar do clone híbrido 4430 de Tradescantia; alterações decorrentes da poluição aérea urbana. Revista Brasileira de Botânica, V. 24, n. 4 (suplemento), São Paulo, dez. 2001.

ALVES, E.S. et. al. Biomonitoramento indoor do potencial mutagênico do ar em laboratórios e herbários do Instituto de Botânica por meio do bioensaio Trad-MCN. Hoehnea, v. 30, n. 2, pp. 89-94, 2003.

BORDIN, J. Briófitas. Trabalho de Estágio Docência. Inst.Botânica. S. Paulo. 2009.

BRAGA, B. et al. Introdução à Engenharia Ambiental – O desafio do desenvolvimento sustentável. 2. ed. São Paulo. Pearson Prentice Hall, 2005.

BUJOKAS, Wanessa M. Bioindicadores vegetais – o uso do feijão como alternativa no monitoramento da qualidade do ar de uma fábrica de cimento. VI Semana de Estudos da Engenharia Ambiental. Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná – Unicentro, 2008.

CARNEIRO, R.M.A. Bioindicadores vegetais de poluição atmosférica: uma contribuição para a saúde da comunidade. Dissertação (Mestrado). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. 2004.

CASTRO, L.Z. Biomonitoramento da qualidade do ar de regiões do Espírito Santo empregando folhas de Mangifera indica L. Dissertação (Mestrado). Centro Universitário Vila Velha. Vila Velha, 2011.

COPELLI, T. S. Biomonitoramento da qualidade do ar utilizando ensaio de micronúcleo em Tradescantia sp. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Curitiba 2011.

COSTA, G.M. Análise da genotoxicidade do ar em dois ambientes - rural e urbano - na Bacia do rio dos Sinos com o uso de Tradescantia. Dissertação (Mestrado). Universidade Feevale. Novo Hamburgo. 2011.

FAHL, I.A.F. Caracterização geográfica da dispersão do flúor, através de teores foliares, em espécies vegetais de interesse econômico, a partir do pólo cerâmico de Santa Gertrudes-SP. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Univ. Est. Paulista - UNESP, Rio Claro, 2003, 100p.

MOTA Filho, Fernando O., et al. Influência de poluentes atmosféricos em Belo Jardim (PE) utilizando Cladonia verticillaris (líquen) como biomonitor. Quim. Nova, v. 30, n. 5, pp.1072-1076, out. 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422007000500004

FIALHO, Rodrigo C. O uso de bioindicadores vegetais no monitoramento e controle da poluição atmosférica – A importância dos Bioindicadores. Informativo técnico publicado pela Associação dos Engenheiros da CETESB – ASEC e pelo Conselho de Representantes dos Funcionários da CETESB – CRF, para distribuição interna e limitada aos empregados da SMA/CETESB. v. 2. n. 4. Setembro de 2002.

FREEDMAN, Bill. Environmental ecology: the ecological effects of pollution, disturbance and other stresses. 2nd. Academic Press Inc. San Diego. 1995.

FURLAN, Cláudia M. Efeitos da poluição aérea de Cubatão sobre o conteúdo de nitrogênio, fibras, ligninas e substâncias fenólicas foliares e atividade herbivórica em Tibouchina pulchra Cogn. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo. São Paulo, 1998.

GUTBERLET, Jutta. Uso de Sphagnum Recurvum P. Beauv. Como biofiltro no monitoramento de poluição aérea industrial de metais pesados. Acta bot. Bras. 2(1): 103-114 (1989) supl., 1989.

GONÇALVES, Vanessa F. et al., Utilização de Líquens como Bioindicadores da Qualidade Atmosférica na Cidade de Uberlândia, MG. In: Anais do VIII Congresso de Ecologia do Brasil, resumo 1185, 23 a 28 de Setembro, Caxambu – MG, 2007.

HENRIQUES, Ariadne et al. Detecção de cádmio no ar atmosférico através do biomonitoramento ativo da poluição com Sphagnum sp. XVI Congresso de Iniciação Científica. Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel. 2007.

IOVINE, Priscila. Usando biomonitoramento para avaliar o impacto da poluição atmosférica no entorno de indústrias. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2012.

KEMERICH, Pedro D. C. et al. Biomonitoramento e variabilidade espacial do dióxido de enxofre em ar urbano. Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science. Universidade de Taubaté, 2011.

KLUMPP, Andreas, ANSEL, W., KLUMPP, G., FOMIN, A. Um novo conceito de monitoramento e comunicação ambiental: a rede europeia para a avaliação da qualidade do ar usando plantas bioindicadoras (EuroBionet). Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 24, n.4 (suplemento), p. 511-518, dez. 2001.

LAKATOS, Eva M.; MARCONI, Marina A. Metodologia do trabalho científico. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LUIZ, Eriane J. et al. Biomonitoramento da Qualidade do ar em Santo André: “Sentindo a Cidade: Biomonitoramento da Qualidade do Ar de Santo André com plantas da espécie Tradescantia pallida e a Educação Ambiental”. Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André. 2005.

MAIOLI, Otávio L. G. et al. Parâmetros bioquímicos foliares das espécies Licania tomentosa (benth.) e Bauhinia forficata (link.) para avaliação da qualidade do ar. Quim. Nova, Vol. 31, No. 8, 1925-1932, 2008.

MORAES, Regina Maria, PINA, Juliana M. Respostas induzidas pelo ozônio em Psidium Guajava Paluma. Anais do VIII Cong. Ecol. Brasil. Caxambu – MG. 2007.

MOREIRA, T.C.L., Interação da vegetação arbórea e poluição atmosférica na cidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado). Univ. de São Paulo. Piracicaba. 2010.

MOURA, James M., FERNANDES, Alan L., SILVA, Jordania C. Utilização de líquens como bioindicadores de poluição atmosférica na cidade de Cuiabá – MT. III Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental. Goiânia/ GO. 2012.

NAKAZATO, Ricardo K., RINALDI, Miriam C., DOMINGOS, Marisa. Análise comparativa do potencial bioacumulador de três espécies vegetais para biomonitoramento de poluentes nitrogenados na regiãode Cubatão – SP. 18ª Reunião Anual do Instituto de Botânica. São Paulo. 2011

NOGUEIRA, Cláudio A. Avaliação da poluição atmosférica por metais na região metropolitana de São Paulo utilizando a bromélia Tillandsia usneoides L. como biomonitor. Tese de Doutorado. Inst. de Pesq. Energ. e Nucleares. S. Paulo. 2006.

ONU-BR. Consequências da poluição do ar são piores do que estimativas anteriores, alerta OMS. Website das Nações Unidas no Brasil, publicado em: 09 abr. 2013 e disponível em: http://www.onu.org.br/consequencias-da-poluicao-do-ar-sao-piores-do-que-estimativas-anteriores-alerta-oms/. Acesso em: 19 ago. 2013.

PAULA, Manoel T. et al. Influência do flúor sobre parâmetros químicos e bioquímicos de folhas de muruci (Byrsonima crassifólia [ L.] Rich.). Rev. Ciênc. Agrár., Belém, n.43, 2005, p.137-148.

PEDROSO, Andrea N.V. Poluentes Atmosféricos & Plantas Bioindicadoras. Instituto de Botânica – IBt. Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente. Curso de Capacitação de Monitores e Educadores. S. Paulo, 2007.

PEDROSO, Andrea N.V., ALVES, Edenise S. Anatomia foliar comparativa das cultivares de Nicotiana tabacum L. (Solanaceae) sensível e tolerante ao ozônio. Acta bot. Bras. v. 22, n. 1, pp.21-28, 2008.

PERES, Wagner L., LIRA, Oberdan F.C., COSTA, Karistoin.A.M. Biomonitoramento com Tradescantia pallida em Mato Grosso. Monografia. Univ. de São Paulo. 2010.

PIQUÉ, Maria P. R. et al. Biomonitoramento, instrumento pedagógico a serviço da sustentabilidade urbana. XXXIII Cong. Bras. Ens.Engenharia. Paraíba. 2005.

PHILIPPI Jr., Arlindo, ROMÉRO, M.A., BRUNA, G.C. Curso de Gestão Ambiental. Barueri: Manole. 2004.

RODRIGUES. Magali S., RAYA-RODRIGUEZ, M.T.M. Análise de risco ecológico com o uso do bioindic. L. multiflorum. J. Braz. Soc. Ecotoxicol., v. 7, n. 1, pp.9-13, 2012. http://dx.doi.org/10.5132/jbse.2012.01.002

SANTOS, Cleide M. Biomonitoramento Passivo utilizando casca de Aroeira Vermelha (Myracrodoun urundeuva): Estudo de Caso da Região de Fercal – DF. Dissertação (Mestrado). Universidade de Brasília, 2012.

SEVERINO, Antonio J. Metodologia da pesquisa científica. 23.ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, Rita A. Cladonia verticillaris (Líquen) como biomonitor padrão da qualidade do ar no Distrito de Jaboatão – PE. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Pernambuco. Pernambuco, 2002.

SILVA, M.F. Avaliação da qualidade do ar utilizando espécies arbóreas na cidade de Patos-PB. Dissertação. Universidade Federal de Campina Grande. 2011.

ZANATO, V.T.A.B., MARIANI, R.L., JORGE, M.P.P.M. Biomonitoramento em Ilhabela e São José dos Campos. XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Univ. do Vale do Paraíba. 2007.