Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Gênero, Sexualidade e Esporte no Cinema

DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v23n1p172-181

http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/index 

downloadpdf

Allyson C. Araújo1

 

Resumo: O esporte enquanto manifestação social tem aderido historicamente a diversas influências sociais que propõem formas de compreender o gênero e a sexualidade. Contudo, temos como hipótese que o esporte contemporâneo, largamente mediado pelas imagens, esgarça a compreensão instaurada na modernidade, ampliando tanto sua possibilidade de representação no cinema quanto as compreensões de gênero e sexualidade. Tomamos o cinema como suporte para a essa discussão por considerar sua relação histórica com o esporte, com berço na modernidade. O texto objetiva debater a representação de gênero e sexualidade vinculada ao esporte no cinema contemporâneo, tecendo considerações para compreensão do esporte moderno. Para tanto utiliza a descrição da experiência estética das imagens do esporte a partir análise das obras Beautiful Boxer (2003), Million Dollar Baby (2004), Billy Elliot (2000). As argumentações presentes se dão a partir da apreciação e se darão pela interpretação de imagens que interpela a significação primária ou natural (fato representado e nível expressivo) e a significação secundária ou convencional (atribuição de valor a partir de referência cultural). O texto justifica-se na medida em que contribui com os debates de gênero e sexualidade. Os resultados têm apontado representações que descentram as visões maniqueistas a respeito do gênero e sexualidade nas práticas corporais. Na leitura que se faz a partir das análises, torna-se clara a percepção de novas formas de aderir ao fenômeno esportivo pela valoração de referências sensitivas, lúdicas e de convívio partilhado da experiência corporal. Uma sensibilidade esportiva menos vinculada à lógica agonística e, por isso mesmo, mais devota à auto-gratificação e adesão aos desejos/prazeres.

Palavras-chave: Gênero; Sexualidade; Cinema; Esporte.

 

Abstract: The sport as a social manifestation has historically adhered to various social influences that propose ways of understanding gender and sexuality. However, It has as an hypothesis that contemporaneous sports, widely mediated by images, frays apart the comprehension established in modernity, expanding both its possibility of representation in media as understandings of gender and sexuality. To perform this discussion, cinema was taken as a support, considering its historical relationship with sports in modernity. The paper aims to discuss the representation of gender and sexuality linked to the sport in contemporary cinema, with considerations for understanding the modern sport. Uses the description of aesthetic experience of the sport images from analysis of the works Beautiful Boxer (2003), Million Dollar Baby (2004), Billy Elliot (2000). The arguments presented were given from the appreciation and interpretation of images that question the primary or natural meaning (represented fact and expressive level) and secondary or conventional meaning (allocation of value from a cultural reference). The text is justified insofar as it contributes to the discussions of gender and sexuality. The results have indicated that representations decenter the manichean views about gender and sexuality in bodily practices. In the reading performed from the analysis, it becomes clear the perception of new ways to join the sports phenomenon by the evaluation of sensitive and ludic references, and common life of the body experience. Sensitivity to sports less connected to agonistic logic and, because of that, less devote to self gratification and adherence to desires/pleasures.

Key words: Gender; Sexuality; Cinema; Sports.

 

1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte

 

Literatura Citada

Olalquiaga C. Megalópolis: sensibilidades culturais contemporâneas. São Paulo: Studio Nobel; 1998.

Prysthon AF. Estudos Culturais: uma (in)disciplina? Comunicação e Espaço Público. 2003; vi (1-2): 134-141.

Hall S. The work of representation. In: Hall S, organizador. Representation: Cultural representation and cultural signifying practices. London/Thousand Oaks/New Delhi: Sage/Open University; 1997.

Aumont J. A imagem. Campinas: Papirus; 1993.

Huyssen A. Mapeando o Pós-Moderno. In: Hollanda HB, organizador. Pós-Modernismo e Política. Rio de Janeiro: Rocco; 1992.

Connor S. Cultura pós-moderna: introdução às teorias do contemporâneo. São Paulo: Ed. Loyola; 2004.

Hall, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP & A; 2005.

Dunning E, Maguire J. As relações entre os sexos no esporte. Estudos Feministas. 1997; 5 (2): 321-348.

Louro GL. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes; 1999.

Nazario L. O outro cinema. Aletria. 2007; 16 (2): 94-109. https://doi.org/10.17851/2317-2096.16.0.94-109

Prysthon AF. Previsivelmente pós-moderno. Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. 2007; 30 (1): 2007.

Melo VA. Vaz AF. Cinema, corpo, boxe: suas relações e a construção da masculinidade. ArtCultura. 2006; 8 (12): 139-160.

Louro GL. O cinema como pedagogia. In: Lopes EMT, Faria Filho LM, Veiga CG, organizadores. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica; 2000.

Eagleton T. A ideia de cultura. São Paulo: Editora Unesp; 2005.

Stam R. Introdução à teoria do cinema. Campinas: Papirus; 2006.

Gumbrecht HU. Elogio da beleza atlética. São Paulo: Companhia das Letras; 2007.

Camargo WX, Rial CSM. Etnografia em competições mundiais esportivas gays no contexto pós-moderno. In: Anais do I Seminário Nacional Sociologia e Política. 2009: 78-97.

Melo VA, Knijnik, JD. Futebol, cinema e masculinidade: uma análise de Asa Branca, um Sonho Brasileiro (1981) e Onda Nova (1983). Revista Portuguesa de Ciência do Desporto. 2009; 9 (2-3): 183-191. https://doi.org/10.5628/rpcd.09.02-03.183