Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Disclosure Ambiental: Informações sobre GEES das Empresas Brasileiras que Declaram no Nível A+ da GRI

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/1679-5350/rau.v12n3p1-22

http://www.raunimep.com.br/ojs/index.php/regen/index

downloadpdf

Rosany Corrêa1, Henrique C. M. Ribeiro2 & Maria T. S. de Souza3

 

Resumo: O objetivo desta pesquisa foi analisar o nível de transparência e confiabilidade das informações sobre emissões de GEEs das empresas nacionais que declaram no nível A+ da GRI. E os objetivos específicos, foram: a) identificar as empresas brasileiras que relatam no modelo da GRI; b) verificar as empresas brasileiras que declaram no nível A+; c) investigar a transparência e a confiabilidade dos relatórios de empresas brasileiras na divulgação de informações sobre GEE. A pesquisa foi qualitativa, exploratória, bibliográfica e documental, trabalhou-se com dados secundários e a análise foi realizada por meio do método de análise de conteúdo. As análises foram realizadas através dos relatórios de sustentabilidade é uma prática de mensuração, divulgação e prestação de contas para os stakeholders internos e externos, buscando o desenvolvimento sustentável e organizacional das empresas. Os relatórios sob a ótica dos princípios das diretrizes da GRI devem abordar temas de sustentabilidade que são relevantes para a comreensão dos stakeholders, abordando uma ampla gama de assuntos no que se refere aos aspectos econômico, social e ambiental (GRI, 2011). Uma organização ao se auto-declarar em um nível de relato, o faz baseada em sua própria avaliação do conteúdo de seu relatório, segundo os critérios dos níveis de aplicação da GRI. Os indicadores que compõem a relatório são 83, quanto à categoria dos indicadores abordam os seguintes itens: econômico, ambiental e social. Esses indicadores de desempenho são informações qualitativas ou quantitativas passíveis de comparação e que demonstrem mudanças ao longo do tempo, podem ser identificados como Essenciais e Adicionais. Verificou-se que apesar de existir uma metodologia padrão do relatório, e já legitimada no mundo no que se refere aos relatórios de sustentabilidade da GRI, isso não é concretizado integralmente por parte das empresas investigadas, impactando na baixa evidenciação na divulgação dodisclosure ambiental destas empresas, ou seja, enquanto a maioria delas cita que realiza o controle das emissões, porém, não os declara de forma quantitativa (mensurável). Fica evidenciado também que as empresas que optaram por um relatório completo adotam o modelo GHG Protocol, o que torna o relato consistente e proporciona uma comunicação efetiva com seus investidores e stakeholders, no que tange as emissões de GEE, contribuindo a posteriori para a consolidação da imagem pelo disclosureambiental. As empresas objeto do estudo quanto ao aspecto ambiental, e que se destacam pela transparência e completude no relado de GEE, foram: Irani; Vale; Samarco, Natura; Usina São Manuel e Petrobrás.

Palavras-chave: Disclosure ambiental; indicadores de sustentabilidade; inventários de gee; relatórios de sustentabilidade.

 

Abstract: The objective of this research was to analyze the level of transparency and reliability of information on GHG emissions from domestic companies that declare at level A +GRI. And the specific objectives were: a) to identify Brazilian companies reporting on the GRI model; b) verify the Brazilian companies that declare at level A +; c)investigate the transparency and reliability of the reports of Brazilian companies in the dissemination of information on GHG. The research was qualitative, exploratory,bibliographical and documentary, we worked with secondary data and the analysis was performed using the content analysis method. Analyses were performed using the sustainability reporting is a practical measurement, disclosure and accountabilityto internal and external stakeholders, seeking sustainable and organizationaldevelopment of enterprises. Reports from the perspective of the principles of the GRI guidelines should address sustainability issues that are relevant for the understanding of stakeholders, addressng a wide range of issues with regard toeconomic, social and environmental aspects (GRI, 2011). An organization to selfdeclare at a level of reporting, does based on its own assessment of the contents ofits report under the criteria of the GRI application levels. The indicators used in thereport are 83, concerning the status of the indicators cover the following items: economic, environmental and social. These performance indicators are qualitative orquantitative information that are comparable and to show changes over time, can be identified as Core and Additional. It was found that although there is a reportstandard methodology, and has legitimized the world with regard to GRIsustainability reports, it is not fully realized by the companies investigated, impactingat low environmental disclosure in the disclosure of this disclosure companies, that is, as most of them quotes which controls emissions, however, does not representthe quantitatively (measurable). It is evident also that the companies that have cosen to adopt a full report GHG Protocol model, which makes consistent reportingand provides an effective communication with its investors and stakeholdersregarding GHG emissions, contributing subsequent to the consolidation of image for environmental disclosure. The object of the study companies as the environmental aspect, and are characterized by transparency and completeness in GHG reladowere: Irani; Vale; Samarco, Natura; Usina São Manuel and Petrobras.

Key words: environmental disclosure; GHG inventories; sustainability indicators; sustainability reports.

 

1 (FAP-Parnaíba-PI) rosanycorrea@hotmail.com
2 (FAP-Parnaíba-PI) hcmribeiro@gmail.com
3 (UNINOVE) mtereza@uninove.br

 

Literatura Citada

ACEVEDO, C. R.; NOHARA, J. J. Monografia no curso de administração: guia completo de conteúdo e forma. São Paulo: Atlas, 2007.

ANDRADE, J. C. S. Participação do setor privado na governança ambiental global: evolução, contribuições e obstáculos. Contexto Internacional, v. 31, n. 2, p. 215-250, 2009.

ANDRADE, M. A. M. de.; GOSLING, M.; XAVIER, W. S. Por trás do discurso socialmente responsável da siderurgia mineira. Revista Produção, v. 20, n. 3, p. 418-428, 2010.

BARBIERI, J. C. Gestão ambiental empresarial. São Paulo: Saraiva, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições, 2002.

BASSETTO, L. I. A incorporação da responsabilidade social e sustentabilidade: um estudo baseado no relatório de gestão 2005 da companhia paranaense de energia – Copel. Gestão & Produção, v. 17, n. 3, p. 639-651, 2010.

BERTHELOT, S.; CORMIER, D.; MAGNAN, M. Environmental disclosure research: review and synthesis. Journal of Accounting Literature, v. 22, p. 1-44, 2003.

BORGES, A. P.; ROSA, F. S. da.; ENSSLIN, S. R. Evidenciação voluntária das práticas ambientais: um estudo nas grandes empresas brasileiras de papel e celulose. Produção, v. 20, n. 3, p. 404-417, 2010.

BROWN, H. S.; JONG, M. de.; LESSIDRENSKA, T. The rise of the global reporting initiative: a case of institutional entrepreneurship. Environmental Politics, v. 18, n 2, p. 182200, 2009.

BUFONI, A. L.; MUNIZ, N. P.; FERREIRA, A. C. de S. O processo de certificação socioambiental das empresas: o estudo de caso do certificado ‘empresa cidadã’. Revista de Administração Contemporânea, v. 13, n. spe, p. 19-38, 2009.

CADBURY REPORT. The Financial Aspects of Corporate Govenance. Disponível em: <http://www.ecgi.org/codes/documents/cadbury.pdf>. Acesso em: 23 set.2011.

CALIXTO, L.; BARBOSA, R. R.; LIMA, M. B. Disseminação de informações ambientais voluntárias: relatórios contábeis versus internet. Revista Contabilidade & Finanças, v. 18, p. 84-95, 2007.

CARVALHO, F. de M.; SIQUEIRA, J. R. M. de. Análise da utilização dos indicadores essenciais da Global Reporting Initiative nos relatórios sociais e empresas latino-americanas. Pensar Contábil, v. 9, n. 38, 2007.

CORMIER, D.; GORDON, I. M.; MAGNAN, M. Corporate environmental disclosure: contrasting management’s perceptions with reality. Journal of Business Ethics, v. 49, n. 2, p. 143-164, 2004.

COSTA, R. S. da.; MARION, J. C. A uniformidade na evidenciação das informações ambientais. Revista Contabilidade & Finanças, n. 43, p. 20-33, 2007.

DUMAY, J.; GUTHRIE, J.; FARNETI, F. GRI sustainability reporting guidelines for public and third sector organizations: a critical review. Public Management Review, v. 12, n. 4, p. 531-548, 2010.

FILHO, M. A. F. M. Responsabilidade social e investimento social privado: entre o discurso e a evidenciação. Revista Contabilidade & Finanças, v. 19, n. 47, p. 89-101, 2008.

FREEDMAN, M.; STAGLIANO, A. J. Environmental disclosure by companies involved in initial public offerings. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 15, n. 1, p. 94105, 2002.

GASPARINO, M. F. Análise de relatórios de sustentabilidade, com ênfase na GRI: comparação entre empresas do setor de papel e celulose dos Estados Unidos e Brasil. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO. EnANPAD. Anais Eletrônicos... Rio de Janeiro: ANPAD, 30, 2006. Disponível em: <http://www.anpad.org.br/>. Acesso em: 14 set.2011.

GHG PROTOCOL BRASIL. Especificações do programa brasileiro GHG Protocol. Discponível em: <http://www.ghgprotocolbrasil.com.br/cms/arquivos/ghgespec.pdf>. Acesso em: 15 set. 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GREENHOUSE GAS INITIATIVE. Programs & Registries. Disponível em: <http://www.ghgprotocol.org/programs-and-registries/brazil-program>. Acesso em: 15 set.2011.

GRI – GLOBAL REPORTING INITIATIVE. GRI Reports List. Disponível em: <http://www.globalreporting.org/ReportServices/GRIReportsList/>. Acesso em: 16 set.2011.

GRI – GLOBAL REPORTING INITIATIVE. Sustainability Reporting Guidelines. Disponível em: <http://www.globalreporting.org/NR/rdonlyres/53984807-9E9B-4B9F-B5E877667F35CC83/0/G31GuidelinesinclTechnicalProtocolFinal.pdf>. Acesso em: 14 set.2011.

IPCC - Intergovernmental Panel on Climate Change. Disponivel em: http://www.brasil.gov.br/cop-english/overview/what2019sat-stake-at-cop-16/theintergovernmental-panel-on-climate-change-ipcc/br_model1?set_language=en> Acesso em 03 out. 2011.

JOSE, A.; LEE, S. M. Environmental reporting of global corporations: a content analysis based on website disclosures. Journal of Business Ethics, v. 72, p. 307-321, 2007.

KYOTO PROTOCOL TO THE UNITED NATIONS FRAMEWORK CONVENTION ON CLIMATE CHANGE. Estados Unidos: 1998. Disponível em < http://unfccc.int/resource/docs/convkp/kpeng.pdf> Acesso em: 03 out. 2011.

LEITE FILHO, G. A.; PRATES, L. A.; GUIMARÃES, T. N. Análise os níveis de evidenciação dos relatórios de sustentabilidade das empresas brasileiras A+ do Global Reporting Initiative (GRI) no ano de 2007. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 3, n. 7, p. 43-59, 2009.

MAGNESS, V. Strategic posture, financial performance and environmental disclosure: an empirical test of legitimacy theory. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 19, n. 4, p. 540-563, 2006.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório e publicações e trabalhos científicos. São Paulo: Atlas, 2007.

MUSSOI, A.; BELLEN, H. M. V. Evidenciação ambiental: uma comparação do nível de evidenciação entre os relatórios de empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 4, n. 9, p. 55-78, 2010.

OLIVEIRA, J. A. P. de. Uma avaliação dos balanços sociais das 500 maiores. RAE eletrônica, v. 4, n. 1, 2005.

ORTAS, E.; MONEVA, J. M. Origins and development of sustainability reporting: analysis of the Latin American context. Journal Globalization, Competitiveness & Governability, v. 5, n. 2, p. 16-37, 2011.

PRADO-LORENZO, J. M.; RODRÍGUEZ-DOMÍNGUEZ, L.; GALLEGO-ÁLVAREZ, I.; GARCÍA-SÁNCHEZ, I.-M. Factors influencing the disclosure of greenhouse gas emissions in companies world-wide. Management Decision, v. 47, n. 7, p. 1133-1157, 2009.

J. M.; GARCIA-SANCHEZ, I. M. The role of the board of directors in disseminating relevant information on greenhouse gases. Journal of Business Ethics, v. 97, p. 391-424, 2010.

RIBEIRO, H. C. M.; GOMES, N. B.; SOUZA, M. T. S. de. Evidenciação das informações sobre emissões de GEE das empresas listadas no ISE Bovespa. In: SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, LOGÍSTICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS. SIMPÓI. Anais Eletrônicos... São Paulo: SIMPÓI, 14, 2011. Disponível em: <http://www.simpoi.fgvsp.br/arquivo/2011/artigos/E2011_T00296_PCN95132.pdf>. Acesso em: 13 set. 2011.

ROVER, R.; BORBA, J. A.; MURCIA, F. D-R.; VICENTE, E. F. R. Divulgação de informações ambientais nas demonstrações contábeis: um estudo exploratório sobre o disclosure das empresas brasileiras pertencentes a setores de alto impacto ambiental. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 3, n. 2, p. 53-72, 2008.

ROVER, R.; TOMAZZIA, E. C.; MURCIA, F. D-R.; BORBA, J. A. Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração da USP, v. 47, n. 2, p. 217-230, 2012.

SAHAY, A. Environmental reporting by Indian corporations. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, v. 11, n. 1, p. 12-22, 2004.

SILVA, S. S. da.; REIS, R. P.; AMÂNCIO, R. Paradigmas ambientais nos relatos de sustentabilidade de organizações do setor de energia elétrica. Revista de Administração Mackenzie, v. 12, n. 3, p. 146-176, 2011.

SIMNETT, R.; NUGENT, M. Developing an assurance standard for carbon emissions disclosures. Australian Accounting Review, v. 17, n. 2, p. 37-47, 2007.

SMITH, M.; YAHYA, K.; AMIRUDDIN, A. M. Environmental disclosure and performance reporting in Malaysia. Asian Review of Accounting, v. 15, n. 2, p. 185-199, 2007.

SOLOMON, J. F.; SOLOMON, A. Private social, ethical and environmental disclosure. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 19, n. 4, p. 564-591, 2006.

SUN, N.; SALAMA, A.; HUSSAINEY, K.; HABBASH, M. Corporate environmental disclosure, corporate governance and earnings management. Managerial Auditing Journal, v. 25, n. 7, p. 679-700, 2010.

UWALOMWA, U.; UADIALE, O. M. Corporate social and environmental disclosure in Nigeria: a comparative study on the building material and brewery industry. International Journal of Business and Management, v. 6, n. 2, p. 258-264, 2011.