Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Convicções de Saúde e Capacidade de Adesão de Mães de Crianças com Doenças Graves e Crônicas

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0969/pi.v13n13p46-67

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/PINFOR/index 

downloadpdf

Marília M. Vizzotto1, Elen Santana2, Vanessa F. Lima2 & Vanessa Faria2

 

Resumo: O presente artigo trata das convicções de saúde e capacidade de adesão ao tratamento de três mães de crianças portadoras de doenças graves e crônicas (anemia falciforme, linfoma de Hodking e diabetes mellitus tipo I). As participantes passaram por sessões de entrevistas semidirigidas, seguindo-se um roteiro com cinco categorias de “convicções de saúde” (suscetibilidade; severidade; benefícios; barreiras; eficácia própria) que indica que o paciente apresenta maior capacidade de aderir a tratamentos se apresentar tais convicções. Os resultados mostraram maior presença de convicções de saúde em duas dessas mães, que também foram as que mais aderiram ao tratamento de seus filhos e eram mais dedicadas à tarefa de cuidar, enquanto que uma terceira mãe, que apresentou menos indicativos de convicções de saúde, foi a menos aderente ao tratamento da filha e apresentou pouca capacidade de cuidar. Ressaltou-se que a suscetibilidade, convicção mais subjetiva dentre todas, pois verifica a capacidade do cuidador em sentir a doença do outro como sua, foi seguramente uma convicção evidente entre as mães aderentes, denotando que a doença não era sentida apenas como do outro (filho), mas como uma ameaça a sua própria integridade.

Palavras-chave: aderência ao tratamento; suscetibilidade; doenças crônicas

 

Abstract: This study aims at investigating health-related beliefs and the adherence to treatment of mothers of children with severe chronicle diseases (sickle-cell anemia, Hodking disease and Diabetes Mellitus type I). They were interviewed based on five categories of health-related beliefs: susceptibility; severity; benefits; barriers, and self-efficacy. Two mothers presented more health-related beliefs and a stronger adherence to treatment and were more devoted to the child’s care. The third mother was less adherent, less caring and presented less health-related beliefs. Susceptibility, the caregiver’s ability of feeling the other’s disease as its own, was a very strong belief for the adherent mothers.

Key words: treatment adherence; susceptibility; chronicle diseases

 

1 Doutora em Saúde Mental pela Unicamp e mestre em Psicologia Clínica pela UCC; atual professora do Programa de Mestrado em Psicologia da Saúde e supervisora de estágio de formação de psicólogos em Psicologia Comunitária e da Saúde – Universidade Metodista de São Paulo – Umesp
2 Psicólogas graduadas pela Universidade Metodista de São Paulo – Umesp

 

Literatura Citada

BAGATTOLI, M. R.; VAISMAN, M.; LIMA, S. J.; WARD, S. L. Estudo de adesão ao tratamento do hipotireoidismo. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 44, n. 6., dez. 2000. doi 

CABRAL, R. R. F.; CHAVES, A. C. Conhecimento sobre a doença e expectativas do tratamento em familiares de pacientes no primeiro episódio psicótico: um estudo transversal. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 27, n. 1, 2005.

CAMPBELL, R. et al. Why don’t patients do their exercises? Understanding noncompliance with physiotherapy in patients with osteoarthritis of the knee. Department of Social Medicine. Bristol: University of Bristol, 2000.

CLAYDON, B. E.; EFRON, N. Non-compliance in general health care. Ophatalmic Plysion Opt. v. 14, p. 257-264, 1994. doi

GONÇALVES, H.; COSTA, S. D.; MENEZES, A. M. B.; KNAUTH, D.; LEAL, O. F.; Adesão à terapêutica da tuberculose em Pelotas, Rio Grande do Sul: na perspectiva do paciente. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, 1999.

KRÜGER, H. R. Crenças e sistemas de crenças. Arquivos Brasileiros de Psicologia, São Paulo, v 54, nn. 1 e 2, p. 3-15. 1993a.

KRÜGER, H. R. Ação e crenças. Arquivo Brasileiro de Psicologia, São Paulo, v. 45, nn. 3 e 4, p. 2-15, 1993b.

MODESTO, S. E. F. Convicções de saúde de pais de crianças portadoras de diabetes mellitus tipo I. 2006. 66 f. Dissertação (Mestrado Psicologia da Saúde) – Faculdade de Psicologia e Fonoaudiologia, Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo.

OLIVEIRA, Z. V.; GOMES, B. W. Comunicação médico-paciente e adesão ao tratamento em adolescentes portadores de doenças crônicas. Estudos de Psicologia (Natal), v. 9, n. 3, set.-dez. 2004.

PACE, A. E.; NUNES, P. D.; OCHOA-VIGO, K.; O conhecimento dos familiares acerca da problemática do portador de diabetes mellitus. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Ribeirão Preto, v. 11 n. 3, mai.-jun. 2003.

PAPALIA, D. E.; OLDS, S. W. Desenvolvimento humano. Trad. Daniel Bueno. 7. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

REA, L. M.; PARKER, R. A. Metodologia de pesquisa: do planejamento à execução. São Paulo: Pioneira, 2000.

SANGUIN, F. P. S. As variáveis psicológicas no processo de adesão ao tratamento fisioterápico domiciliar. 2004. 98 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia da Saúde) – Faculdade de Psicologia e Fonoaudiologia, Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo.

SANTIN, A.; CERESÉR, K.; ROSA, A. Adesão ao tratamento no transtorno bipolar. Revista de Psiquiatria Clínica, v. 32, 2005.

VALLE, E. A.; VIEGAS, E. C.; CASTRO, C. A. C.; TOLEDO JR., A. C. A. A adesão ao tratamento, 2001. Ciber Saúde. Disponível em: <http://www.cibersaude.com.br>. Acesso em: 10 set. 2006.