crosscheckdeposited

Psicoterapia Breve Operacionalizada em Situação de Crise Adaptativa

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v16n2p144-151

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/index 

downloadpdf

Ryad Simon1 & Kayoko Yamamoto2

 

Resumo: Uma crise emocional é um acontecimento de suma importância na vida de qualquer pessoa. A urgência de se lidar com situações de emergência e de crise emocional foi formulada a partir de princípios da teoria da aprendizagem, de conceitos psicanalíticos, e de modelos específicos de psicoterapia breve. Ela deriva da teoria da adaptação, definida como um conjunto de respostas de um organismo vivo, em vários momentos, a situações que o modificam, permitindo manutenção de sua organização compatível com a vida, por mínima que seja. A psicoterapia breve operacionalizada em situação de crise foi empregada no tratamento de uma jovem senhora, com crise por expectativa de perda, procurou ajuda terapêutica de duração breve. Os critérios diagnósticos são de pouca ajuda em uma crise adaptativa, tanto por perda como aquelas que envolvem ganho ou aumento de responsabilidade. Os sentimentos específicos trazem, em seu bojo, riscos também específicos. A crise pode converter-se em momento de crescimento emocional e aumento de eficácia adaptativa, e não de regressão e diminuição de eficácia adaptativa. O marido e o filho de Ana queriam que ela tivesse mais um filho. Ela era a filha mais velha de uma numerosa prole; gostava de seu trabalho como professora; tinha boa saúde física. Ao final da avaliação adaptativa, reconheceu o temor inconsciente de ser repudiada por não gerar um outro filho. Entretanto, chegou a conclusão de que gostaria de conseguir dizer, abertamente, para sua família que ela queria somente um filho e estava contente com esta situação. Decidiu, após muita reflexão, que não ia mais adotar um bebê e na sessão seguinte relatou que havia encaminhado, para o órgão de adoção do Juizado, uma carta na qual, formalmente, desistiu da intenção de adotar um bebê.

Palavras-chave: Psicoterapia Breve Operacionalizada; EDAO – Escala Diagnóstica Adaptativa Operacionalizada; Crise Adaptativa; Matriz Gráfica

 

Abstract: An emotional crisis is an event of crucial importance in the life of any person. The urgency to deal with emergency situations and emotional crisis was formulated considering the principles of the learning theory, psychoanalytical concepts, and specific short-term psychotherapy models. It derives from the adaptive theory, defined as a set of responses that a live organism emits, in various moments, to situations that modify it, allowing therefore the maintenance of a life compatible organization. Operationalized short-term psychotherapy in crisis situations was employed in the treatment of a young lady, experiencing a loss expectation crisis, who sought short-term therapeutic help. At the end of the adaptive evaluation, she was able to acknowledge her unconscious fear of being rejected for not having a second child. However, she came to the conclusion that she would like to be able to openly tell her family she only wanted one child and was happy with this situation. She decided she was no longer adopting a baby.

Key words: Short-term psychotherapy; Operationalized Adaptive Diagnosis Scale; Emotional Crisis

 

Literatura Citada

Andreani, G., Custódio, Z.A.O., Crepaldi, M.A. (2006) – Tecendo redes de apoio na prematuridade. Aletheia, dez, n. 24, 115-126.

Bellak, L. e Small, L. (1965) – Emergency psychotherapy and brief psychotherapy. New York: Grune and Stratton.

Braier, E. (1984) – Psicoterapia breve de orientación psicoanalítica. Buenos Aires: Nueva Visión.

Caplan, G. (1964) – Princípios de psiquiatria preventiva. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

Correa, K.R.F.D.C. (2004) – Eficácia adaptativa de mulheres e homens inseridos num programa de fertilização “in vitro”. Dissertação de Mestrado. Universidade Metodista de São Paulo.

Erikson, E.H. (1959) – Identity and life cycle. New York: International University Press.

Erikson, E.H. (1968) – Identidade. Juventude e crise. Rio de Janeiro: Zahar (1972).

Faúndes, A., Rosas, F., Bedone, A.J., Orozco, L.T. (2006) – Violência sexual: procedimentos indicados e seus resultados no atendimento de urgência de mulheres vítimas de estupro.Revista Bras. Ginecol. Obstet., fev, v.28, n.2, 126-135. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032006000200009

Freitas, M.R.I., Gir, E., Furegato, A.R.F. (2002) – Sexualidade dos portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV): um estudo com base na teoria da crise. Revista Latino-Amer Enfermagem, jan, v.10, n.1, 70-76. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692002000100011

Krupnik, J. (2002) – Brief psychodynamic treatment of PTSD. Psychotherapy in Pratice, v. 58, n. 8, 919-932. http://dx.doi.org/10.1002/jclp.10067

Malan, D. (1976) – As Fronteiras da Psicoterapia Breve. Porto Alegre: Artes Médicas, 1981.

Sifneos, P. (1987-1989) – Psicoterapia Dinâmica Breve. Avaliação e técnica. Porto Alegre: Artes Médicas.

Simon, R. (1989) – Psicologia Clínica Preventiva. Novos Fundamentos. São Paulo: EPU.

Simon, R. (2005) – Psicoterapia Breve Operacionalizada. Teoria e Técnica. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Souza, C.L. (2005) – Transição da menopausa: a crise da meia-idade feminina e seus desafios físico e mentais. Revista Bras. Terap. Cognit., dez, v.1, n.2, 87-94.