Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Reorganização da Demanda para Atendimento Odontológico no Município de Amparo/SP: O Desafio de Garantir o Acesso Equânime às Ações de Saúde Bucal

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v19n37p117-123

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/O1/index 

downloadpdf

Marcelo B. Coimbra1, Franssinete T. de M. Annes2, Patricia D. B. Rodrigues3, Fabiana de L. Vazquez4 & Antonio C. Pereira5

 

Resumo: Objetivo: planejar o acesso ao atendimento odontológico de forma eqüitativa e integrar toda a equipe com a proposta de saúde bucal para atendimento familiar. Metodologia: este trabalho relata a experiência de reorganização do processo de trabalho da saúde bucal de uma unidade de saúde da família na cidade de Amparo, SP, discutindo em equipe sobre a problemática da saúde bucal na unidade, levantando os dados da lista de espera, e elaborando um instrumento de avaliação de risco onde se buscou a construção de um instrumento que possibilitasse ordenar prioritariamente as famílias com maior necessidade de atendimento e que pudesse ser utilizado por qualquer profissional da equipe. Cada individuo da família foi avaliado e pontuado numa graduação de 1 a 3, em relação aos critérios idade, condição bucal e saúde geral. Posteriormente foi feita uma somatória da pontuação de todas as pessoas da família e realizada uma média. Esta média foi somada a uma nota familiar que considera a condição sócio-econômica e moradia. A necessidade sentida pelo usuário também foi considerada na nota familiar. Resultados: obteve-se um instrumento de avaliação em saúde bucal simples, de fácil compreensão e manuseio e que fez do Agente Comunitário de Saúde, em especial, um elo de ligação entre o paciente e a equipe; uma lista de espera mais equânime, reorientação das triagens familiares, caracterização da busca de atendimento por micro-áreas, para planejamento de atividades educativas, diminuição do número de urgências e maior integração entre os profissionais da equipe. Conclusão: observou-se durante os trabalhos, além da reorganização da demanda e da faixa etária atendida, que até 2001 era prioritária para gestantes e crianças até 14 anos, restringindo assim o acesso dos adultos e consequentemente limitando os programas de saúde e com a implantação das Equipes de Saúde Bucal na Estratégia de Saúde da Família, houve um ganho de qualidade para os usuários e também para os profissionais da unidade que passaram a compreender melhor, questões mais específicas da odontologia e contribuíram com seus conhecimentos e percepções na construção da ficha de avaliação e na reorientação do fluxo, trazendo as questões odontológicas mais para perto do dia-a-dia da equipe. Houve também uma satisfação da equipe em oferecer resposta às famílias que aguardavam na lista de espera.

Palavras-chave: Reorganização da Demanda; Planejamento; Acesso ao Atendimento Odontológico; Atendimento Familiar.

 

Abstract: Aim: to plan access to dental care in an equitable and integrate the entire team with the proposed oral health care for families. Methodology: this study reports the experience of reorganizing the work process of oral health in the health unit's family Garden Brazil, discussing team on the issue of oral health in the unit, raising the data from the waiting list, and making an instrument of risk assessment where we sought in this step to build an instrument capable of ordering priority to families most in need of care and that could be used by any professional team. Each individual family is assessed and scored on a grading 1 to 3, against the criteria age, oral health and general health. Later it made a summation of the scores of all family members and held an average. This average is added to a familiar note finds that socioeconomic status and housing. The need felt by the user was also considered in footnote family. Results: we obtained an instrument for assessing oral health in simple, easy to understand  nd handle and that makes the ACS, in particular, a link between the patient and staff, a waiting list of more equitable, reorientation of family screening , characterization of seeking medical assistance for micro-areas for planning educational activities, reducing the number of emergencies and greater integration between the professional team. Conclusion: it was observed during the deliberations that in addition to the reorganization of demand there was a gain in quality for professionals in the unit that came to better understand, deal with specific aspects of dentistry and contributed their knowledge and insights in the construction of the evaluation form and in redirecting the flow, bringing dental issues closer to the day-to-day team. There was also a satisfying response team to provide the families who waited in the waiting list.

Keywords: Reorganization of the Demand; Planning; Access to Dental Care; Family Care.

 

1 CD, Me em Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas, Piracicaba
2 CD, Prefeitura do Município de Amparo, Amparo, SP, Brasil
3 Méd, Prefeitura do Município de Amparo, Amparo, SP, Brasil
4 CD, Aluna do Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas, Piracicaba
5 CD, Me, Dr, Professor Titular, Departamento de Odontologia Social, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas, Piracicaba

 

Literatura Citada

1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria executiva. Programa Saúde da Família - PSF. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria executiva. Programa Saúde da Família: Equipes de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

3. Ferreira MAF, Roncalli AG, Lima KC. Saúde Bucal Coletiva, conhecer para atuar. Natal: EDUFRN, 2004.

4. Santos SAS, Meneghim MC, Pereira AC. Análise da organização da demanda e grau de satisfação do profissional e usuário nas unidades de serviço público odontológico do Município de Campos dos Goytacazes/RJ/Brasil. Rev. Odont. UNESP 2007; 36(2): 169-174.

5. Tagliaferro EPS, Pardi V, Pereira AC. Avaliação de Risco em Odontologia. In: Pereira, A.C. et al. Tratado de Saúde Coletiva em Odontologia. Ed. Santos, Nova Odessa, 2009. P. 529-550.

6. Coelho MO, Jorge MSB. Tecnologia das relações como dispositivo do atendimento humanizado na atenção básica à saúde na perspectiva do acesso, do acolhimento e do vínculo. Ciênc. saúde coletiva 2009; 14(supl.1): 1523-1531.

7. Lourenço EC, Pereira AC, Silva ACB, Meneghim MC. Ciência & Saúde Coletiva 2009; 14(5):1369-1379.

8. Vilasbôas ALQ, Paim JS. Práticas de planejamento e implementação de políticas no âmbito municipal. Cad Saude Publica 2008; 24(6): 1239-1250. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2008000600005

9. Nascimento AC, Moysés ST, Bisinelli JC, Moysés SJ. Saúde bucal na estratégia de saúde da família: mudança de práticas ou diversionismo semântico.Rev Saude Publica 2009; 43(3): 455-462. https://doi.org/10.1590/S0034-89102009000300009