Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Absenteísmo e Atestações Médico-Odontológicas no Serviço Público: Um Estudo Retrospectivo

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v21n41-42p1-8

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/O1/index 

downloadpdf

Marcos M. Capelari1, Fábio D. da C. Aznar2, Francisco J. P. de Andrade3, Adriana R. de Freitas4, Silvia H. de C. Sales-Peres5 & Arsenio Sales-Peres6

 

Resumo

Introdução: O absenteísmo médico-odontológico é relatado como responsável pela perda de dias e horas de trabalho, refletindo em prejuízos econômicos nos setores público e privado. Portanto, o presente artigo objetivou avaliar o absenteísmo quanto a sua origem, médica ou odontológica, e suas causas através da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10) nas atestações de servidores municipais no período de 2001 a 2012.

Material e Métodos: Realizou-se uma análise retrospectiva da história médico-odontológica de 340 prontuários de servidores da cidade de Santa Cruz do Rio Pardo-SP, por meio da CID-10 presente em atestados médicos e odontológicos justificantes de afastamentos. Foram quantificados os afastamentos, dias de trabalho perdidos, e afecções mais frequentes. Os dados foram analisados de forma descritiva por meio de frequências absoluta e relativa.

Resultados: Os afastamentos médicos somaram 3.523 eventos, e os odontológicos 337, com total de 34.685 e 425 dias perdidos de trabalho, respectivamente. As patologias de origem médica mais frequentes foram as Doenças do Aparelho Respiratório (CID J11), e as de origem odontológica as Doença da polpa e dos tecidos periapicais (K04) foram as mais prevalentes.

Conclusões: Os afastamentos de origem médica foram mais prevalentes em relação aos odontológicos, destacando-se as Doenças do Aparelho Respiratório e Doença da polpa e dos tecidos periapicais, respectivamente. A ausência da CID-10 nos atestados pode inviabilizar uma correta análise das causas de afastamentos, comprometendo assim, tanto a prevenção aos agravos à saúde, como também o planejamento de ações que proporcionem um melhor ambiente de trabalho.

Palavras-chave: absenteísmo, atestado de saúde, Classificação Internacional de Doenças

 

Abstract

Introduction: The medical and dental absenteeism is reported as the responsible for losing on days and hours of work, reflecting economic losses in public and private sectors. Therefore, this article aims to evaluate the absenteeism as its origin, medical or dental, and their causes through the International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems (ICD-10) in attestations of municipal employees at the period 2001-2012.

Methodology: It was performed a retrospective analysis of the medical and dental history of 340 servers records from the city of Santa Cruz do Rio Pardo-SP, by ICD- 10 present in medical and dental affidavits which justify the absences from work. It were quantified the absences, lost work days, and more frequent diseases. Data were analyzed descriptively by absolute and relative frequencies.

Results: The medical leaves totaled 3,523 events, and dental 337, with a total of 34,685 and 425 lost work days, respectively. The medical pathologies most frequents were Respiratory Diseases (ICD J11), and the disease of dental origin were the pulp and periapical tissue disease (K04) were the most prevalent.

Conclusions: The sickness leaves with medical origin were more prevalent in relation to dental, highlighting the Diseases of the Respiratory Disease and the Pulp and Periapical Tissues Diseases, respectively. The absence of ICD-10 in attestations can derail a correct analysis of the causes of absenteeism, thereby undermining both prevention to health problems, as well as planning actions that provide a better working environment.

Key words: absenteeism, health certificate, International Classification of Diseases

 

1 CD, Me, Doutorando, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, SP, Brasil. E-mail: marcosmcapelari@usp.br
2 CD, Me, Doutorando, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, SP, Brasil. E-mail: fabio@znar.com.br
3 CD, Me, Doutoranda, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, SP, Brasil. E-mail: julihermeandrade@gmail.com
4 CD, Me, Doutorando, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, SP, Brasil. E-mail:adrianafreitas@usp.br
5 Professora Doutora Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, SP, Brasil. E-mail: shcperes@usp.br
6 Professor Doutor Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, SP, Brasil. E-mail: arsenio@usp.br

 

Literatura Citada

Sales Peres A, Olympio KPK, Cunha LSC, Bardal PAP. Odontologia do Trabalho e Sistema Único de Saúde: uma reflexão. Revista da ABENO. 2004; 4(1):38-41.

Carvalho ES, Hortense SR, Rodrigues LMV, Bastos JRM, Sales Peres A. Prevenção, promoção e recuperação da saúde bucal do trabalhador. RGO. 2009; 57(3):345-9.

Sales Peres SHC, Sales Peres A, Oliveira FT, Adachi A, Silva AL, Morandini ACF, et al. Absenteísmo: uma revisão da literatura sobre a ausência ao trabalho relacionada à odontologia. Rev Fac Odontol Araçatuba. 2006; 27(2):96-100.

Diacov N, Lima JRS. Absenteísmo odontológico. Rev Odontol UNESP. 1988; 17(1):183-9.

Carrion V. Nova jurisprudência em direito do trabalho. São Paulo: Revista dos Tribunais; 1994.

Nogueira DP, Laurenti R. Absenteísmo por doença em mulheres. Revista de Saúde Pública. 1975; 9(3):393-9. doi

Brasil. Decreto n. 27.048, de 12 de agosto de 1949. Aprova o regulamento da Lei nº 605, de 5 de janeiro de 1949, que dispõe sobre o repouso semanal remunerado e o pagamento de salário nos dias feriados civis e religiosos. Diário Oficial Estados Unidos do Brasil 16 ago 1949; sec. 1:1.

Brasil. Lei n. 605, de 05 de janeiro de 1949. Dispõe sobre repouso semanal remunerado e o pagamento de salário nos dias feriados civis e religiosos. Diário Oficial Estados Unidos do Brasil 14 jan 1949; sec.1:1.

Reis P, Ribeiro PCL. Detecção de agravos à saúde relacionados com o trabalho e o uso gerencial da informação. In: Mendes R, organizador. Patologia do trabalho. 2. ed. Rio de Janeiro: Atheneu; 2003. p. 231-322.

Togna GRD, Crosato E, Melani RFH, Michel-Crosato E, Biazevic MGH. Uso da Classificação Internacional de Doenças na análise do absenteísmo odontológico. Rev Saude Publica. 2011; 45(3):512-8. doi

Andrade TB, Souza MGC, Simões MPC, Andrade FB. Prevalência de absenteísmo entre trabalhadores do serviço público. Scientia Medica. 2008; 18(4):166-71.

Oenning NSX, Carvalho FM, Lima VMC. Indicadores de absenteísmo e diagnósticos associados às licenças médicas de trabalhadores da área de serviços de uma indústria de petróleo. Rev Bras Saude Ocup. 2012; 37(125):150-8. doi

Lacerda JT, Ribeiro JD, Ribeiro DM, Traebert J. Prevalência da dor orofacial e seu impacto no desempenho diário em trabalhadores das indústrias têxteis do município de Laguna, SC. Cien Saude Colet. 2011; 16(10):4275-82. doi

Ferreira EV, Amorim MJDM, Lemos RMC, Ferreira NS, Silva FO, Laureano-Filho JR. Absenteísmo dos trabalhadores de enfermagem em um Hospital Universitário do Estado de Pernambuco. Rev Rene. 2011; 12(4):742-9.

Mazzilli LEN. Análise dos afastamentos do trabalho por motivo odontológico em servidores públicos municipais de São Paulo submetidos à perícia ocupacional no período de 1996 a 2000 [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo; 2004.

Carvalho CM, Coelho MP, Radicchi R. Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais doEstado de Minas Gerais. UFES Rev Odontol. 2007; 9(2):27-32.