Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Reestruturação da Disciplina Introdução à Engenharia na Faculdade de Engenharia de Resende: Uma Proposta com Base nas Metodologias Ativas de Aprendizagem

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2447-3944/rebes.v2n1p52-63

https://seer.imed.edu.br/index.php/REBES/index 

downloadpdf

Mario A. S. Esteves1, Jorge Muniz Junior2, Julio C. Batista3 & Wagner P. Stoffel4

 

Resumo: O objetivo deste artigo é propor a reestruturação da disciplina de Introdução à Engenharia, ministrada no ciclo básico da Faculdade de Engenharia de Resende, à luz das reflexões que acompanham a utilização das metodologias ativas de aprendizagem. O resultado concreto deste trabalho é o estabelecimento de um novo programa com objetivos gerais e específicos mais sintonizados aos requisitos e necessidades da formação do profissional para o mercado. A introdução de atividades em que o aluno se torna agente ativo, e não passivo, representa um esforço com vistas à sua participação mais efetiva no processo de ensino aprendizagem e reconfigura a estrutura didático-pedagógica da disciplina, representando um desafio significativo para os cursos de Engenharia. Espera-se, ainda, como reflexo desta reestruturação, que se promova a sinergia interdisciplinar dos conteúdos programáticos e a reformulação do processo de ensino e aprendizagem e dos conteúdos da disciplina e que os graves problemas das altas taxas de evasão escolar sejam minimizados. Além disso, pretende-se contribuir para que o estudante de Engenharia, pelo uso das novas metodologias, motive-se com a carreira de engenheiros tenha uma visão global do curso, facilitando, assim, a escolha de sua habilitação profissional.

Palavras-chave: Educação superior. Metodologias ativas. Curso de engenharia. Estrutura curricular. Reestruturação.

 

Abstract: The objective of this paper is to propose a restructuring of the introduction to engineering course taught in the basic cycle of the Faculty of Engineering of Resende. This work will be conducted in the light of the reflections offered by active learning methodologies. The concrete result of this work is to establish a new menu with general and secondary goals more attuned to the needs and requirements of professional training for the market. The introduction of active pursuits and not simply passive student to represent an effort to participate more effectively in the teaching learning process and reconfigure the didactic-pedagogical structure of the discipline and will represent a significant engineering challenge courses, to promote interdisciplinary synergy of contents programmatic, redesign of the teaching and learning process and content and alleviate the serious problems of high rates of truancy and dropout. It also seeks to contribute to the engineering student through the use of new methodologies, motivate yourself with professional careers in engineering, facilitating the choice of their qualification and have an overview of the course.

Key words: Higher education. Active methodologies. Engineering course. Curricular restructuring.

 

1 Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), Resende, RJ, Brasil. E-mail: <esteves@aedb.br>;.
2 Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, SP, Brasil. E-mail: <muniz@feg.unesp.br>;.
3 Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), Resende, RJ, Brasil. E-mail: <julio@lcp.inpe.br>;.
4 Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), Resende, RJ, Brasil. E-mail: <wagner@aedb.br>;.

 

Literatura Citada

ABHIYAN, S. S.; NADU, T. Manual of active learning methodology. Índia: Krishnamurti Foundation, 2008.

ALENCAR, E. M. L. S. Psicologia: Introdução aos princípios básicos do comportamento. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1986

BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia. Diário Oficial da União, Brasília, 9 abr. 2002. Seção 1, p. 32. Resolução CNE/CES 11, 2002.

BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia. Resolução CNE/CES 1362 12 dez. 2011.

COMÉNIO, J. A. Didáctica magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. Tradução e notas de Joaquim Ferreira Gomes. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1976.

DRUCKER, P. F. Uma bússola para tempos incertos. Revista Exame. São Paulo, v. 30, n. 7, p. 66-70. 26 mar. 1997.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREUD, S. Algumas reflexões sobre a psicologia escolar, In: Edição standard brasileira das obras completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, v. 13, 1976.

GADOTTI, M. História das ideias pedagógicas. 8. ed. São Paulo: Ática, 2001.

JACINSKI, E. Sentido das interações entre tecnologia e sociedade na formação de engenheiros. 2012. 363 f. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

MONTAIGNE, M. Ensaios. Tradução Sérgio Milliet. Porto Alegre: Editora Globo S.A,1972.

MONTEFUSCO, R.; MONTEFUSCO, E. Introdução à engenharia, Cobenge, 2008.

MORETTO, V. P. Construtivismo: a produção do conhecimento em aula. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

NOT, L. Ensinando a aprender: elementos da psicodidática geral. Trad. Carmem Sylvia Guedes, Cláudia Signorini. São Paulo: Summus, 1993.

VASCONCELLOS, C. S. Construção do conhecimento: em sala de aula. São Paulo: Editora Salesiana Dom Bosco, 1993.

WEITEN, M. Introdução à psicologia: temas e variações. Trad. Maria Lúcia Brasil, Zaira G. Botelho, Clara A. Colotto, José Carlos B. dos Santos. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.