Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliação do Perfil Hepático e Consumo Alimentar de Trabalhadores de Uma Indústria Metalúrgica na Cidade de Caxias do Sul – RS

DOI: http://dx.doi.org/10.15602/1983-9480/cmbs.v16n33p17-26

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ipa/index.php/EUM/index 

downloadpdf

Adriana D. Rodrigues1

 

Resumo: O fígado é um órgão muito suscetível a danos por substâncias químicas, alimentação e/ou hábitos de vida inadequados. Em vista disso, o presente estudo teve como objetivo avaliar o perfil hepático e consumo alimentar de trabalhadores de uma indústria metalúrgica da cidade de Caxias do Sul – RS. Aplicou-se um questionário de frequência de consumo alimentar padronizado em 240 trabalhadores, dos quais também foram realizadas análises bioquímicas, com seus valores obtidos em banco de dados de um laboratório de análises clínicas. A atividade das enzimas hepáticas fosfatase alcalina, aspartato aminotransferase, alanina aminotransferase e gama glutamil transpeptidase apresentou-se aumentada em 11,7%, 18,3%, 16,2% e 14,3% dos funcionários, respectivamente. No questionário, observou-se 50,8% de trabalhadores com alimentação inadequada, mas 68,3% relataram o consumo frequente de frutas, verduras e legumes e pouco frequente de frituras (35%). Relacionando o perfil hepático com o consumo alimentar, não houve associação significativa. Apesar da exposição química frequente e o percentual alto de alimentação inadequada, não houve alterações significativas no perfil hepático. Contudo, deve-se ter um controle periódico nos exames, visto que, o tempo prolongado de exposição à químicos e alimentação inadequada pode ser prejudicial à saúde.

Palavras-chave: Consumo alimentar, Enzimas hepáticas - Trabalhadores metalúrgicos.

 

Abstract: The liver is an organ very sensitive to damage by chemicals, food and/or inappropriate lifestyle habits. In view of this, this study aimed to evaluate the hepatic profile and food consumption of workers from a metallurgical industry in the city of Caxias do Sul – RS. The applied frequency questionnaire standardized food consumption in 240 workers, of whom were also performed biochemical analyzes , with their values obtained in a clinical laboratory database. The activity of hepatic enzymes alkaline phosphatase, alanine aminotransferase, aspartate aminotransferase and gamma-glutamyltransferase of the workers was increased, 11,7%, 18,3%, 16,2% e 14,3% of employees, respectively. In the questionnaire, there was 50,8% of employees with inadequate nutrition , but 68.3 % reported regular consumption of fruit and vegetables and infrequent fries (35%) . Relating the liver profile with food intake, no significant association. However, one should have a periodic control exams, since prolonged exposure to chemicals and improper diet can be harmful to health.

Key words: Food consumption, Hepatic enzymes, Metallurgical workers

 

1 Mestre em Biotecnologia, Professora e Coordenadora do Curso de Biomedicina da Faculdade da Serra Gaúcha.

 

Literatura Citada

ABESO, 2010 - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. 3ª Edição, 2010. Disponível em: <http://www.abeso.org.br/>. Acesso em: 14 mai. 2013.

BAIN, B. J. Professor of Diagnostic Haematology. St Mary’s Hospital Campus of Imperial College. Faculty of Medicine, London and Honorary Consultant Haematologist, St Mary’s Hospital, London. 2007.

BARBERINO, J. L. et al. Alterações hepáticas em trabalhadores de uma refinaria de petróleo, Bahia, Brasil. Revista Panamericana de Salud Publica, v. 17, n. 1, p. 30-7, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892005000100005

BELLENTANI, S. et al. Prevalence of and risk factors for hepatic steatosis in Nnorthern Italy. Annals of Internal Medicine., v. 132, p. 112-7, 2000. http://dx.doi.org/10.7326/0003-4819-132-2-200001180-00004

BOOGAARD, P. J. et al. Effects of exposure to low concentrations of chlorinated hydrocarbons on the kidney and liver of industrial workers. British Journal of Industrial Medicine., v. 50, n. 4, p. 331-9, 1993. http://dx.doi.org/10.1136/oem.50.4.331

CADORIN, M. A. F. et al. Associação entre prática de atividade física, escolaridade e perfil alimentar de motoristas de caminhão. Saúde e Sociedade, v. 19, n. 2, p. 418-428, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902010000200017

COTRIM, H. P. et al. Esteato-hepatite não alcoólica: fatores predisponentes e principais características. Gastroenterologia Endoscopia Digestiva, v. 14, n. 4, p. 160, 1997. http://dx.doi.org/10.1111/j.1478-3231.1999.tb00053.x

COTRIM, H. P. et al. Nonalcoholic steatohepatitis: a toxic liver disease in industrial workers. Liver., v. 19, n. 4, p. 299- 304, 1999.

DI LORENZO, L. et al. Effect of shift work on body mass index: results of a study performed in 319 glucose-tolerant men working in a Southern Italian industry. International Journal of Obesity, v. 27, n. 11, p. 1353-1358, 2003. http://dx.doi.org/10.1038/sj.ijo.0802419

DITTRICH, S. et al. Correlation between platelet blood levels and the hepatic venous pressure gradient among patients with cirrhosis. Arquivos de Gastroenterologia, v. 42, n. 1, p. 35-40, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032005000100009

FELDMAN, M. et al. Fatty liver disease. In: Sleisenger & Fordtran’s gastrointestinal and liver disease: pathophysiology, diagnosis, management, 7th.ed. Philadelphia: Saunders, p.1393-403, 2002.

FESTI, D. et al. Hepatic steatosis in obese patients: clinical aspects and prognostic significance. Obesity reviews, v. 5, p. 27-42, 2004. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-789X.2004.00126.x

FONSECA, M. J. M. et al. Hábitos alimentares entre funcionários de banco estatal: padrão de consumo alimentar. Cadernos de Saúde Pública, v. 15, n. 1, p. 29-39, 1999. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1999000100004

GAYOTTO, L. C. da C. Doenças do fígado e vias biliares. 1ª Edição. Editora Atheneu. São Paulo, 2001.

GUZELIAN, P. et al. Liver structure and function in print workers exposed to toluene. Journal of Occupational Medicine., v. 30, n. 10, p. 791–6, 1988. http://dx.doi.org/10.1097/00043764-198810000-00008

HO, S. F. et al. Persistent liver dysfunction among workers at a vinyl chloride monomer polymerization plant. Journal of the Society of Occupational Medicine., v. 41, n. 1, p. 10–6, 1991. http://dx.doi.org/10.1093/occmed/41.1.10

HODGSON, E. A. Textbook of modern toxicology. 4ª Edição. Editora Wiley. 2010.

LOPES, E. J. Hábitos alimentares e avaliação em trabalhadores noturnos de uma indústria metalúrgica na cidade de Guarulhos, São Paulo, Brasil. VII Jornada de iniciação Científica – 2011. Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, São Paulo 2011.

MALTA, D. C. et al. A construção da vigilância e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis no contexto do Sistema Único de Saúde. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 15, n. 1, p. 47-65, 2006. http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742006000300006

MONTEIRO, C. A. et al. The nutrition transition in Brazil. European Journal of Clinical Nutrition, v. 49, p.105 – 13, 1995.

OGA, S. – Fundamentos de Toxicologia. São Paulo: Atheneu, 1996

OLIVEIRA, J. F. G. et al. Utilização da dosagem da gama--glutamil-transferase associada ao teste CAGE no diagnóstico do alcoolismo na empresa. Gramado: Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas; 1987.

Riscos à saúde do trabalhador: Setor Metalúrgico. Disponível em: <http://www.simucad.dep.ufscar.br/dn_eng_seguranca_doc16.pdf> Acesso em: 06 mar. 2013

RODRIGUES, V. R. C. B. Avaliação das alterações hematológicas e genotóxicas nos trabalhadores expostos a agrotóxicos em municípios do Estado de Piauí, 2011. Dissertação – Mestrado Profissional. Universidade federal do Ceará. SIMECS - Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul, 2013. Disponível em: <http://www.simecs.com.br/empresas-do-simecs/resultados-economicos.asp> Acesso em 18 mar. 2013

SINITOX - Sistema Nacional de Informações Toxico Farmacológicas. Registros de intoxicações. Disponível em: <http://www.fiocruz.br/sinitox_novo/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=home> Acesso em: 24 abr. 2013

TAMBURRO C.H. et al. Tests for hepatotoxicity: usefulness in screening workers. Journal of Occupational Medicine, v. 28, n. 10, p1034–44, 1986. http://dx.doi.org/10.1097/00043764-198610000-00026

WHO, Joint, and FAO Expert Consultation. “Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases.” WHO technical report series 916 (2003).