crosscheckdeposited

Tafonomia de Moluscos do Sítio Barreiros, Município de Moreilândia, PE, Bacia do Araripe

DOI: http://dx.doi.org/10.18190/1980-8208/estudosgeologicos.v25n2p53-60

https://www.ufpe.br/estudosgeologicos/ 

downloadpdf

Maria E. P. Batista1, Alexandre M. F. Sales2, Allysson P. Pinheiro2 & Olga A. Barros3

 

Resumo: O Grupo Santana, de Idade Mesozoica, é um dos depósitos fossilíferos mais importantes do Cretáceo no mundo, o que se deve à excepcionalidade de preservação, quantidade e diversidade dos fósseis. A Formação Romualdo, localizada na porção superior dessa unidade estratigráfica, foi depositada durante uma fase lagunar no Aptiano-Albiano e apresenta concreções carbonáticas que contém uma variedade de fósseis preservados em três dimensões, como peixes, répteis, plantas, icnofósseis e invertebrados. Dentre os invertebrados fósseis encontrados, destacam-se conchas de moluscos, que preservam características morfológicas dos seres originais e ocorrem geralmente em bancos calcários, com centenas de exemplares. Entre as classes mais conhecidas e estudadas da Formação Romualdo, destacam-se os gastrópodes e bivalves. No município de Moreilândia, na localidade do Sítio Barreiros, foi descoberta uma nova ocorrência dessas concentrações, onde, a partir de uma análise tafonômica, focada principalmente nas feições sedimentológicas, bioestratinômicas, estratigráficas e paleoecológicas, observou-se que quatro eventos de ampla magnitude ocorreram nessa região, onde dois causaram mortandade em massa e deram origem às concentrações, e dois causaram superfícies de erosão no depósito. Essas concentrações sugerem procedência marinha com embasamento em espécies encontradas e identificadas, e corroboram outros estudos na região que sugerem eventos de tempestade de um mar cretáceo.

Palavras-chave: Mar cretáceo, tempestades, mortandade, Formação Romualdo.

 

Abstract: The Santana Group of the Araripe Basin is one of the most important Cretaceous fossil deposits of the world due to the exceptional preservation, quantity and diversity of fossils. The Romualdo Formation, located in the upper portion of this stratigraphic unit, was deposited during a lagoon phase in the Aptian-Albian and presents carbonate concretions containing a variety of fossil preserved in three dimensions, such as fish, reptiles, plants, ichnofossils and invertebrates. Among the invertebrate fossils found shells of mollusks stand out, which retain morphological characteristics of the original beings and generally occur in limestone banks, with hundreds of specimens. Gastropods and bivalves are the best-known and most studied groups in the Romualdo Formation. In the town of Moreilândia, in the locality of Barreiros farm, a new occurrence of such concentrations was discovered. Taphonomic analysis focused mainly on sedimentological, bioestratinomic, stratigraphic and paleoecological features, in this outcrop favors the proposition of four large magnitude events in this region. Two caused mass mortality and originated concentrations, and two caused erosional surfaces in the deposit. This concentration suggests marine origin considering the found and identified species, and corroborates other studies in the region, which suggest storm events in a Cretaceous sea.

Key words: Cretaceous sea, storms, death toll, Romualdo Formation.

 

1 Universidade Regional do Cariri/URCA, edenilcebio@hotmail.com
2 Departamento de Ciências Biológicas, Universidade Regional do Cariri/URCA, amfsales@urca.br, allyssonpp@yahoo.com.br
3 Laboratório de Paleontologia, Universidade Regional do Cariri/URCA, olga.a.barros@gmail.com

 

Literatura Citada

Assine, M. L. 1992, Análise Estratigráfica da Bacia do Araripe, Nordeste do Brasil, Revista Brasileira de Geociências, 22: 296-298.

Assine, M. L. 2007. Bacia do Araripe. Boletim de Geociências da PETROBRAS, 15: 371-389.

Costello, M. J. E. 2001. European register of marine species: a check-list of the marine species in Europe and a bibliography of guides to their identification. Paris: Muséum national d'histoire naturelle.

Dos Santos Bruno, A. P. & Hessel, M. H. 2006. Registros paleontológicos do Cretáceo marinho na Bacia do Araripe. Estudos Geológicos, 16: 30.

Ghilardi, R. P. 1999. Paleoautoecologia dos bivalves do Grupo Passa Dois (Neopermiano), no Estado de São Paulo: bivalves fósseis como indicadores da dinâmica sedimentar. Dissertação de Mestrado, pós-graduação em Geologia Sedimentar, Universidade de São Paulo-USP, 160 p.

Hessel, M. H., & Barbosa, J. A. 2005. Moluscos Neocretácicos da região de Pedro Velho–canguaretama (rn), Bacia Potiguar. Estudos Geológicos, 15, 128.

Holz M. & Simões, M.G. 2002. Elementos fundamentais de tafonomia, Ed. Universidade, Porto Alegre, p. 231.

Kidwell, S. M. & Bosence, D. W. J. 1991. Taphonomy and time-averaging of marine shelly faunas. Taphonomy: releasing the data locked in the fossil record. Plenum :115-209. http://dx.doi.org/10.1007/978-1-4899-5034-5_4

Mabesoone, J. M. & Tinoco, I. M. 1973. Palaeoecology of the aptian Santana formation (North Eastern Brazil).Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, 14: 97-118. http://dx.doi.org/10.1016/0031-0182(73)90006-0

Ministério de Minas e Energia, 2005. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, pernambuco, 2005, Diagnóstico do Município de Moreilândia, , Secretaria de Geologia e Transformação Mineral.

Prado, L. A. C., Pereira, P. A., Sales, A. M. F., & Barreto, A. M. F. 2015. Taphonomic and paleoenvironmental considerations for the concentrations of macroinvertibrate fossils in the Romualdo Member, Santana Formation, Late Aptian–Early Albian, Araripe Basin, Araripina, NE, Brazil. Journal of South American Earth Sciences, 62, 218-228. http://dx.doi.org/10.1016/j.jsames.2015.06.005

Prado, L. A. C., Pereira, P. A., Sales, A. M. F., & Barreto, A. M. F. 2014. Análise tafonômica e taxonômica da concentração de invertebrados fósseis do topo da formação romualdo, cretáceo inferior da bacia do araripe em araripe, ceará (ce). Estudos Geológicos, 24: 53:64.

Sales, A. M. F., 2005. Análise Tafonômica das Ocorrências de Concreções de Macroinvertebrados fósseis do Membro Romualdo (Albiano) da Formação Santana, Bacia do Araripe, NE do Brasil: Significado Estratigráfico, Temporal e Paleoambiental. Tese de Doutorado, Pós-graduação em Geociências, Universidade de São Paulo - USP, 160p.

Sales, A. M. F.; Simões, M. G. & Andarade, J. A. F. G. (2003a). Concentração coquinóide de Microinvertebrados Fósseis (Moluscos) da Formação Santana (Cretáceo), Região de Araripina, SW da Bacia do Araripe. In: SBG Congresso Brasileiro de Paleontologia, 18 Brasília, DF...Boletim de Resumos. p. 248-249.

Sales, A. M. F.; Simões, M. G.; Andrade, J. A. F. G. De (2003b). Comparative Taphonomy of Pygurustinocoi an Irregular Echinoid of the Santana Formation (Cretaceous), Araripe Basin, Brazil. In: Congresso Brasileiro de Paleontologia, Brasília, DF.. Boletim de Resumos, 18 p. 246-247.

Santos, R. da S. & Valença, J.G. 1968. A Formação Santana e sua paleoictiofauna. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, 40 (3): 339-360.

Simões, M. G. & Ghilardi, R. P. 2000. Protocolo tafonômico/paleoautológico como ferramenta nas análises paleossinecológicas: exemplos de aplicação em concentrações fossilíferas do Paleozóico da Bacia do Paraná. Pesquisas em Geociências, 27: 3-13.

Simões, M. G., & Holz, M. (2004). Tafonomia: processos e ambientes de fossilização. In: Carvalho, I. S. de (ed) Paleontologia, Rio de janeiro:Interciência, 19-45.

Simões, M.G.1996. Pelecypod taphofacies of the Corumbataí formation (Late Permian) in central São Paulo state, Paraná basin. In: SBG Congresso Brasileiro de Geologia., Salvador, Anais, 2: 298- 300.

Soares, R. C. 2012. Gênese dos níveis coquinóides do Membro Romualdo, Formação Santana, na porção central e leste da bacia do Araripe. Dissertação de Mestrado, Pós-Graduação em Geologia, Universidade Federal do Ceará, 73 p.

Stanley, S. M. 1970. Relation of shell form to life habits of the Bivalvia (Mollusca). Geological Society of America, Memoirs,. 125: 1-296. http://dx.doi.org/10.1130/MEM125-p1

Viana, M. S. S.1993. Estratigrafia e paleontologia da Formação Santana, Cretáceo Inferior da Bacia do Araripe, nordeste do Brasil. Anuário do Instituto de Geociências, 16: 110-111.