Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Análise Comparativa de Parâmetros de Balneabilidade em Fazendinha, Macapá-AP

DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v5n4p110-118

http://periodicos.unifap.br/index.php/biota/index 

downloadpdf

Jonas S. Campos1 & Helenilza F. A. Cunha2

 

Resumo: A balneabilidade é um instrumento de verificação de parâmetros que determinam se a água da praia tem qualidade para a recreação de contato primário. O objetivo da pesquisa foi verificar a balneabilidade e as condições da qualidade ambiental do balneário da Fazendinha em Macapá. A metodologia contou com uma pesquisa descritiva, com análise de dados primários e secundários de qualidade da água considerando um período de 2 anos. As informações sobre o monitoramento realizado foram pesquisadas junto ao Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Estado do Amapá – IMAP. Os resultados mostraram valores de E. coli e pH satisfatórios para o balneário da Fazendinha. O estudo foi ampliado para outros balneários no sentido de comparar esses parâmetros. Os demais balneários mostraram resultados alterados para o pH, em não conformidade com a legislação. Foram encontrados valores de pH = 4,4 no Curiaú, pH = 5,82 do Perpétuo Socorro, pH = 5,89 no Santa Inês e pH = 5,5 no Ariri. Essas alterações reforçam a necessidade de se intensificar períodos de monitoramento que é feito uma vez ao ano. Na Fazendinha, 42% dos entrevistados identificaram que o balneário é utilizado em outros meses não monitorados. O estudo reforça a importância da comunicação por parte do órgão responsável quanto à qualidade da água para maior satisfação e segurança aos usuários.

Palavra-chave: Qualidade da água, resolução CONAMA 274/2000, qualidade ambiental.

 

Abstract: The recreational water quality criteriais are usefull parameters to determine the water quality of the beach when it is used for primary contact. The objective of this investigation is to verify the recreational water quality and the environmental conditions on the Fazendinha beach – Macapá/AP. The methodology included a descriptive study, with analysis of primary and secondary data of water quality considering a period of two years. Information on the monitoring were carried out surveyed by the Institute for the Environment and Land Management of the Amapá State - IMAP. The results showed concentration of E. coli and pH level suitable for recreational water quality. A theoretical study was extended to other beach in order to compare these parameters, and results showed values in non-compliance with current legislation: pH = 4.4 for Curiaú, pH = 5.82 for Perpétuo Socorro, pH = 5.89 for Santa Inês and pH = 5.5 for Ariri proximities. These differences showed the need to intensify monitoring frequency because that it is carried out just once a year. In Fazendinha District, 42% of respondents identified that the beach has been used in other months not monitored by IMAP. We conclud that is necessary to reinforces the importance of monitoring and communication by IMAP about the recreational water quality to greater the health safety to users.

Key words: Water quality, resolution CONAMA 274/2000, environmental quality.

 

1 Acadêmico do Curso de Ciências Ambientais, Universidade Federal do Amapá. E-mail: jonassc22@hotmail.com
2 Graduada em Serviço Social, Universidade Federal do Pará. Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental, Universidade de São Paulo. Professora, Universidade Federal do Amapá. Docente, Programas de Pós-graduação em Biodiversidade Tropical e Direito Ambiental e Políticas Públicas, Universidade Federal do Amapá. E-mail: helenilzacunha@gmail.com

 

Literatura Citada

ALMEIDA, E. A. F. Microbiologia e Parasitologia da Areia da Praia do Balneário Rincão, Içara, SC. Trabalho de conclusão de curso, Curso de Engenharia de Ambiental da universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, 2011.

ANDRADE, M. P et al. Avaliação da Balneabilidade das praias do Município de Santos/SP nos últimos dez anos, Revista Ceciliana Jun 4(1):55-59, 2012.

AURELIANO, J. T. Balneabilidade das praias de Pernambuco o núcleo metropolitano, Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2000. Disponível em: <http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/balneabilidade.pdf>. Acesso em: 05/06/2014.

BERG, C. H. et al. Indicadores de Balneabilidade: A Situação Brasileira e as Recomendações da World Health Organization, Int. J. Knowl. Eng. Manag, ISSN 2316-6517, Florianópolis, v. 2, n. 3, p. 83-101, jul./out, 2013.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 274, de 29 de novembro de 2000. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 18, 25 jan. 2001. Seção 1, p. 70-71.

BRITO, D. C. Biogeoquímica e ciclos de carbono e nutrientes na desembocadura do Rio Amazonas – AP. Tese (doutorado) – Fundação Universidade Federal do Amapá, Programa de PósGraduação em Biodiversidade Tropical, 2013.

CUNHA, A. C. et al. Simulação da Hidrodinâmica e Dispersão de Poluentes com Monitoramento Virtual no Rio Matapi -AP REA – Revista de Estudos Ambientais (Online) v.13, n. 2, p. 18-32, jul./dez. 2011.

CUNHA, A. C. et al. Monitoramento de Águas Superficiais em Rios Estuarinos do Estado Amapá sob Poluição Microbiológica, Boletim Museu Paraense Emilio Goeldi, série. Ciências Naturais, Belém, v.1, p. 141-148, jan-abr. 2003.

DIAS, A. S. Interferência de Elementos Constitutivos na Aplicação da Responsabilidade Penal Ambiental em Área de Marinha no Bairro do Perpétuo Socorro, Macapá-AP, Dissertação (mestrado) – Fundação Universidade Federal do Amapá, Mestrado Integrado em Desenvolvimento Regional, 2011.

DIAS, J. A. et al. Gestão Costeira Integrada. Revista de Gestão Costeira Integrada. Volume 9, Número. Junho, 2009.

EIGER, S. Comentários sobre a avaliação da balneabilidade de águas litorâneas. Revista Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 4, n. 1, p. 16-28. 1999.

ESTEVES, F.A. Fundamentos de Limnologia. Rio de Janeiro: Interciências/FINEP, 575 p., 2003.

FRANCENER, N. F.et al. Avaliação do Índice de Balneabilidade em uma Área de Lazer no Município de Ji-Paraná Rondônia,2010. Disponível em: <https://www.abrh.org.br/sgcv3/UserFiles/Sumarios/09f44b3b03ec92d633a2db01293fad9b_b486c4a734897208064b86613140663d.pdf> Acesso em 25/072014.

FREITAS, V. C. L. Balneabilidade das Praias do Recife: uma avaliação do monitoramento realizado pelos órgãos de controle ambiental – Recife/PE. Monografia (Especialização em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde) – Departamento de Saúde Coletiva, Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz., 2010.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA(IBGE). Contagem da População 2010. Tabelas de resultados. População recenseada e estimada. Disponível em: <www.ibge.gov.br

INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DE ORDENAMENTO TERRITORIAL- IMAP, Relatório Preliminar de Balneabilidade, 2014.

INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DE ORDENAMENTO TERRITORIAL- IMAP, Relatório Final de Balneabilidade, 2013.

LOPES, F. de A. et al. Balneabilidade em Águas Doces no Brasil: Riscos à Saúde, Limitações Metodológicas e Operacionais, Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde. Disponível em http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia. 9 (16). 2013. p.28 - 47.

LIMA, W. N.; KOBAYASHI, C. N. Sobre o quimismo predominante nas águas do sistema flúvio-estuarino de Barcarena, PA, Geochimica Brasiliensis, v. 2, n.1, p.53-71, 1988.

MARTINS, L. K. L. A. Contribuições para Monitoramento de Balneabilidade em Águas Doces no Brasil, Dissertação (mestrado) Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Engenharia. 2012.

MORAES, R. C. S. Diagnóstico socioambiental do Balneário Curva São Paulo, Teresina-PI, dissertação de Mestrado (Programa Regional de Pós- Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente , da Universidade Federal do Piauí(UFPI/TROPEN/PRODEMA), 2011.

NEMETZ, S. M. M. C. C. S. Balneabilidade de Praias do Litoral CentroNorte de Santa Catarina: Estudo de Percepção Ambiental, dissertação (mestrado) Universidade Regional de Blumenau – FURB. 2004.

OLIVEIRA, L. N; SILVA, C.E. Qualidade da Água do Rio Poti e suas Implicações para Atividade de Lazer em Teresina-Pi, Revista Equador (UFPI), Vol.3, nº1, p. 128 - 147 (jan./jun.,2014).

RODRIGUES, J. R. D; JORGE, A. O. C; UENO. M. Avaliação da qualidade das águas de duas áreas utilizadas para recreação do Rio Piracuama-SP, REVISTA BIOCIÊNCIAS, UNITAU. Volume 15, número 2, 2009. Disponível em periodicos. unitau.br.

SOARES, D. N. E. S. Bases microbiológicas e químicas da qualidade ambiental da água e areia da orla de Manguinhos - Serra, Espírito Santo, Brasil, dissertação (mestrado) em Ecologia de Ecossistemas do Centro Universitário Vila Velha-UVV, 2009.

SOUSA, R. C. de. Capacidade de carga recreacional, percepção dos usuários e qualidade da água em três praias turísticas da costa amazônica. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Pará. Instituto de Estudos Costeiros. Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental. Curso de Mestrado em Ecologia de Ecossistemas Costeiros e Estuarinos. Bragança-PA, 2011.

SPERLING, E. V. Água para saciar corpo e espírito: balneabilidade e outros usos nobres. In: 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Anais...Rio de Janeiro: ABES, 2003. Disponível em: <http://www.bvsde.paho.org/bvsacd/abes22/ccii.pdf>. Acesso em: 18 Março, 2015.

TAKIYAMA, L.R. e da SILVA, U.R. L. Experiências na Utilização de Metodologias Participativas para a Construção de Instrumentos de Gestão Costeira no Estado do Amapá, Brasil, Revista de Gestão Costeira Integrada. Volume 9, Número. Junho 2009.