Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Compreensão dos Relacionamentos Enquanto Recurso em Uma Empresa de Laticínio com Base nas Perspectivas da Estratégia como Prática Social e da VBR

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v11n22p261-284

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/OC/index 

downloadpdf

Cleidivaldo S. Bento1, Ludmilla M. Montenegro2, Gracyanne F. Araújo3 & Maria A. R. Escobar4

 

Resumo: A estratégia como prática social possibilita entender recursos organizacionais e seus resultados como consequência das atividades realizadas no cotidiano. Este estudo teve como objetivo compreender como ocorre o relacionamento, enquanto recurso, nas atividades cotidianas (práxis) dos praticantes envolvidos com os resultados estratégicos em uma empresa de laticínio do município de Nossa Senhora Aparecida, SE. Utilizou-se o modelo de estratégia como prática de Jarzabkowski, Balogun e Seidl (2007) e as premissas da VBR sob a ótica do modelo VRIO de Barney (1991). A natureza da pesquisa é qualitativa, do tipo exploratório-descritiva. A estratégia de pesquisa foi o estudo de caso. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com o proprietário da empresa e analisados por meio de uma análise de conteúdo. Observou-se que, como consequência dos relacionamentos construídos no decorrer da realização das atividades estratégicas dos praticantes, a organização obteve lucro que permitiu a sua sobrevivência, crescimento e vantagem competitiva.

Palavras-chave: Estratégia como Prática Social; Praticantes; Relacionamento; Visão Baseada em Recursos; Resultados Estratégicos

 

Abstract: The strategy as a social practice provides a theoretical reference that allows to understand organizational resources and its outcomes as a consequence of activities accomplished every day. This investigation aimed to understand how the relationship occurs, as a resource, on the everyday activities (praxis) of the practitioners involved in the strategic outcomes of a dairy organization at Nossa Senhora Aparecida, SE. The theoretical perspective was based on a strategy as practice model of Jarzabkowski, Balogun and Seidl (2007) and on the RBV assumptions, specially the VRIO model developed by Barney (1991). It is an exploratory-descriptive qualitative investigation. The research strategy was the case study. The data was collected by semi-structured interviews held with the owner of the firm and analyzed using a content analysis. It was possible to comprehend that as a consequence of the relationships constructed throughout the strategic activities of the practitioners, the organization obtained a profit that allowed its survival, growth and competitive advantage.

Key words: Strategy as a Social Practice; Practitioners; Relationship; Resource Based View; Strategic Outcomes

 

1 Graduado em Administração pela Universidade Federal de Sergipe, Campus Prof. Alberto Carvalho
2 Professora efetiva do Departamento de Administração da Universidade Federal de Sergipe. Professora permanente do PROPADM
3 Professora Efetiva da Universidade Federal de Sergipe, Campus Prof. Alberto Carvalho - Departamento de Administração (DACI)
4 Professora do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Sergipe, Campus São Cristóvão.

 

Literatura Citada

AMBROSINI, Véronique; BOWMAN, Cliff; BURTON-TAYLOR, Sarah. Inter-team coordination activities as a source of customer satisfaction. Human relations, v. 60, n. 1, p. 59-98, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Edições 70. São Paulo, 2011.

BARNEY, Jay. B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, 1991, v. 17, p. 99-120.

BARNEY, Jay. B; HESTERLY, William. S. Administração estratégica e vantagem competitiva. 3. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 5. ed., São Paulo: Prentice Hall, 2002.

EISENHARDT, Kathleen M. Building Theories from Case Study Research. The Academy of Management Review, v. 14, n. 4, 1989, p. 532-550.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed., São Paulo. Atlas, 2010.

GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

JARZABKOWSKI, Paula; BALOGUN, Julia; SEIDL, David. Strategizing: The challenges of a practice perspective. Human Relations, v. 60, n. 5, 2007.

JOHNSON, Gerry; MELIN, Leif e WHITTINGTON, Richard. Micro Strategy and Strategizing: Towards an Activity-Based View. Journal of Management Studies, v. 40, n. 1, p. 3-22, 2003.

JOHNSON, Gerry et al. Strategy as practice: Research, directions and resources. Cambridge University Press, 2007. Disponível em: Acessado dia 13 jul. 2014.

MINTZBERG, Henry; AHLSTRAND, Bruce; LAMPEL, Joseph. Safári de Estratégia: Um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000.

SEDETEC – Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia. Plano de desenvolvimento do Arranjo Produtivo de pecuária de leite e derivados do alto sertão sergipano. Aracaju, 2008. Disponível em: http://www.mdic.gov.br/...dwnl_1247147199. ...

TURETA, César; LIMA, Juvêncio Braga de. Estratégia como Prática Social: O estrategizar em uma rede interorganizacional. REV. ADM. MACKENZIE (RAM), v. 12, n. 6, ed. especial. São Paulo, 2011.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 9. ed., São Paulo: Atlas, 2008.

WERNERFELT, Birger. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal. v. 5, p. 171-180, 1984.

WHITTINGTON, Richard. Strategy as Practice. Long Range Planning, v. 29, n. 5, p. 731-735, 1996.

WHITTINGTON, Richard. Completing the Practice Turn in Strategy Research. Organization studies, v. 27. n. 5, p. 613-634, 2006.

YIN, Robert k. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 4. ed. Porto Alegre. Bookman, 2010.