Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Estudo da Desidratação Osmótica da Fruta da Palma (Figo da Índia)

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v8n2p153-162

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Cláudia D. Medeiros1, Josilene de A. Cavalcante2 & Odelsia L. S. de Alsina3

 

Resumo: A maioria das frutas tropicais são altamente perecíveis, com vida útil curta, que implica em perdas na produção. A fim de minimizar essas perdas várias pesquisas envolvendo a desidratação osmótica estão sendo realizadas. Esse trabalho teve como principal objetivo estudar a desidratação osmótica da fruta da palma (figo da índia), como pré-tratamento a secagem em leito fixo. As condições operacionais para o estudo da desidratação osmótica foram: concentração da solução osmótica de 20, 30, 40 e 50 °Brix, tempo de imersão na solução de sacarose que variou de tempos curtos (30 a 270 min) e tempos longos (4 a 48 h) e efeito da agitação magnética. Todos os testes foram realizados à temperatura ambiente. Análises físicoquímicas como redução de peso (RP), ganho de açúcar (GA) e umidade foram realizadas. Foi verificado um aumento gradativo na redução de peso (RP) bem como no ganho de açúcar (GA) e uma diminuição do teor de umidade quando a concentração de sacarose e o tempo de imersão foram aumentados. O feito da agitação não foi significativo. O tempo de operação para atingir condições estáveis foi de aproximadamente 20 horas.

Palavras-chave: Fruta da palma, desidratação osmótica, sólidos solúveis (°Brix).

 

Abstract: Most of the tropical fruits are very pereshible with a short life, which causes production losses. In order to minimize these losses research about osmotic dehydration was developed. The present work deals with the osmotic dehydration of prickly pear by sucrose solutions as a pretreatment before the convective drying. The following operational conditions were used: sucrose concentration 20, 30 40 and 50 oBrix; short immersion time from 30min to 270min and long immersion time 4 hs to 48 hs; with and without agitation. All the experimental runs were performed at ambient temperature. The process performance was evaluated by means of the weight reduction (RP) sugar gain (GA) and moisture content (X). It was verified that the osmotic dehydration is improved by increasing the oBrix of the solution and the immersion time. No significant influence of agitation was observed in the present conditions. The operation time to attain stable conditions was about 20 hours.

Key words: pickly pear, osmotic dehydration.

 

1 Aluna IC/PIBIC/UAEQ/UFCG
2 Pesquisadora DCR/FAPESQ-PB/CNPq. E-mail: josy@deq.ufcg.edu.br
3 Profa. da Unidade Acadêmica de Engenharia Química/UFCG. Av. Aprígio Veloso, 882, Bodocongó, Campina Grande-PB, CEP. 58109-970, Tel. (83) 33101115. E-mail: odelsia@deq.ufcg.edu.br

 

Literatura Citada

Aguiar, S.F.; Gaspareto, O.C.P.; Magalhães, M.M.A.; Oliveira, G.L. Estudo da desidratação osmótica da banana nanica. In: Congresso Brasileiro de Engenharia Química (COBEQ), XIV, 2002, Natal, Anais. Natal: UFRN, 2002. (CD Rom).

Cantwell, M. Manejo pós-colheita de frutas e verdures de palma forrageira. In: Barbera, G., Inglese, P., Barrios, E. P. Agroecologia, cultivo e usos da palma forrageira. Paraíba: SEBRAE, 2001. cap 14, p. 123139.

Corbo, M. R.; Altieri, C.; D’amato, D.; Campaniello, D.; Del Nobile, M. A.; Sinigaglia, M. Effect of temperature on shelf life and microbial population of lightly processed cactus pear fruit. Postharvest Biology and Technology, v. 31, n. 1, p. 93-104, 2004 https://doi.org/10.1016/S0925-5214(03)00133-9

Glass, V., Sabor entre espinhos. http://globoruraltv.globo.com/GRural/0,27062,LTO0-4370-135244,00.html. 10 Nov. 2004.

Goularte, V.D.S.; Antunes, E.C.; Antunes, P.L. Qualidade de maçã fuji osmoticamente concentrada e desidratada. Ciência e Tecnologia de Alimentos. Campinas, v.20, n.2, p. 160-163, 2000.

Mauro, M. A.; Monnerat, S. M.; Rodrigues, A. E. Vacuum drying of osmotic dehydrated apple slices. In: International Drying Symposium (IDS), 14th, 2004, São Paulo, Proceedings. São Paulo: UNICAMP, 2004. v. C, p. 2084-2090.

Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. São Paulo, v. 1, 3a edição, 1985.

Silva, V. A.; Alsina; O. L. S; Pereira, J. A. Osmo-convective drying acerola: modeling of the convective kinetics. In: InterAmerican Drying Conference (IADC), 3rd, 2005, Montreal, Proceedings. Montreal, 2005. (CD-ROM)

Silveira, A. M.; Alves, S. M. Tomates secos via processo combinado convecçãodesidratação osmótica. In: Congresso Brasileiro de Engenharia Química (COBEQ), XIV, 2002, Natal, Anais. Natal: UFRN, 2002. (CD Rom).

Travaglini, D.A.; Aguirre, J.M.; Silveira, E.T. Desidratação de frutas e hortaliças. In: Instituto de Tecnologia de Alimentos - Manual técnico, Campinas: ITAL, 1997, p.3.1-3.40.

Torres, J.D.; Talens, P.; Escriche,I.; Chiralt A. Influence of process conditions on mechanical properties of osmotically dehydrated mango. Journal of Food Engineering, v. 74, p. 240-246, 2006. https://doi.org/10.1016/j.jfoodeng.2005.03.017