Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Registros Paleontológicos do Cretáceo Marinho na Bacia do Araripe

 

https://www.ufpe.br/estudosgeologicos/ 

downloadpdf

Ana P. S. Bruno1 & Maria H. Hessel2

 

Resumo: Este trabalho apresenta uma análise crítica da fauna e flora possivelmente marinha já registrada nos depósitos cretáceos da Bacia do Araripe, objetivando oferecer uma visão integrada da ocorrência de organismos indubitavelmente marinhos na bacia, como subsídio para direcionar futuras investigações paleontológicas. De todas as unidades estratigráficas desta seqüência, apenas nas formações Crato e Romualdo há citações de formas marinhas. Nos calcários laminados da Formação Crato são conhecidos Dastilbe crandalli, um peixe aparentemente eurihalino, Cladocyclus gardneri e celacantos tidos como de águas salinas, Araripemys barretoi, um quelônio considerado dulceaqüícola, e biválvios que habitavam águas não-marinhas. Nos folhelhos desta formação, ocorrem conchostráceos, biválvios e algas dulceaqüícolas, sendo a presença de ostracodes marinhos ainda duvidosa. Deste modo, pelo registro na literatura, não fica comprovado que organismos tipicamente marinhos viviam no ambiente de deposição da Formação Crato. Nas concreções calcárias da Formação Romualdo ocorrem peixes osteícties marinhos, como Vinctifer comptoni, Tharrhias araripis e Rhacolepis buccalis. Os raros celacantos e o tubarão Tribodus limae são aparentemente não-marinhos; a raia Iansan beurleni é marinha sublitorânea; e os quelônios são na maioria de ambiente dulcícola. Dentre os invertebrados bentônicos tipicamente marinhos, há os equinóides irregulares Pygurus tinocoi e P. araripensis, e os gastrópodos Gymnentome romualdoi, Craginia araripensis e Cerithium cf. austinense. Os biválvios já identificados taxonomicamente (Aguileria sp.) são de ambiente transicional. O caranguejo Araripecarcinus ferreirai é tido como de águas doces, e o camarão Paleomattea deliciosa, marinho. A presença de foraminíferos na Formação Romualdo, como Rhodonascia bontei, Quinqueloculina sp., outros miliolídeos e rotaliídeos indeterminados, indica uma origem marinha, assim como os dinoflagelados Subtilisphaera sp. e Spiriferites sp. Observa-se, deste modo, que há organismos comprovadamente marinhos registrados na Formação Romualdo. Entretanto, a diversidade paleobiológica cretácea da Bacia do Araripe parece refletir uma diversidade paleoambiental no tempo e no espaço associada a uma grande dinâmica aquática, que ainda exige estudos detalhados para uma interpretação integrada dos eventos ocorridos.

Palavras-chave: Bacia do Araripe, Formação Crato, Formação Romualdo, organismos marinhos.

 

Abstract: The work presents a critical analysis of the possible marine fauna and flora already registered in the Cretaceous deposits of the Araripe Basin, with the objectiv to furnish an integrated vision of the occurrence of unequivocal marine organisms in the basin, and direct future paleontological inquiries. Among all the stratigraphic units in the Basin, only the Crato and Romualdo formations are mentioned to have marine organisms. In the laminate calcareous of the Crato Formation, Dastilbe crandalli, apparently a eurihaline fish, Cladocyclus gardneri and coelacanths from saline waters, Araripemys barretoi, considered a fresh water turtle, and bivalves that inhabited non-marine waters are known. In the shales of this unit, occur freshwater conchostracans, bivalves, and seaweed, but the presence of marine ostracodes is still doubtful. Thus, is not confirmed that typically marine organisms living in the deposition environmental of the Crato Formation. In the calcareous concretions of the Romualdo Formation there are marine osteichthyan fishes, as Vinctifer comptoni, Tharrhias araripis, and Rhacolepis buccalis. The coelacanths and the shark Tribodus limae apparently are non-marine; the ray Iansan beurleni is marine sublittoral; and the turtles are mainly from freshwater environments. Amongst the typically marine benthic invertebrates, there are irregular echinoids Pygurus tinocoi and P. araripensis, and gastropods Gymnentome romualdoi, Craginia araripensis and Cerithium cf. austinense. The bivalves previously taxonomically identified (Aguileria sp.) are of transitional environment. The crab Araripecarcinus ferreirai inhabited in freshwaters and the shrimp Paleomattea deliciosa, in marine environment. The presence of foraminifera in the Romualdo Formation, such as Rhodonascia bontei, Quinqueloculina sp., indeterminate miliolids and rotaliids, indicate a marine origin, as well as the dinoflagellates Subtilisphaera sp. e Spiriferites sp. Thus, there are marine organisms recorded in the Romualdo Formation. However, the Cretaceous paleobiological diversity of the Araripe Basin seems to reflect the palaeoenvironmental diversity in time and space, associated with a great aquatic dynamics, which needs still demands detailed studies for an integrated interpretation of the occurred events.

Key words: Araripe Basin, Crato Formation, Romualdo Formation, marine organisms.

 

1 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE - E-mail - apsbruno@yahoo.com.br
2 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE - E-mail - helena.hessel@ufpe.br