Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

As Metodologias Ativas na Elaboração do Projeto de Pesquisa: Autonomia do Conhecimento Discente

DOI: http://dx.doi.org/10.18837/1518-9562/direito.acao.v12n1p233-258

http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RDA/index 

downloadpdf

Neide A. Ribeiro1

 

Resumo: Trata-se de uma reflexão sobre as dificuldades enfrentadas pelos atores das práticas de aprendizagem da disciplina de pesquisa jurídica em que o principal objetivo é a elaboração de um projeto de pesquisa. Nessa interface, as metodologias ativas serão analisadas como instrumentos que podem ser utilizados pelos docentes e discentes na busca de uma promoção conjunta de habilidades na investigação.

Palavras-chave: Pesquisa jurídica. Metodologias ativas. Projeto de pesquisa.

 

Abstract: The aim of the article is to discuss difficulties the actors of learning practices come up against when having to produce research work in the subject of Law Research, the core aim of which is the production of a Research Project. In the interface that mediates research and writing, active methodologies will be analyzed as instruments that can be used by both teachers and students as useful tools for joint evolution of skills in researching.

Key words: Legal Research. Active methodologies. Research Project.

 

1 Professora de Graduação e Pós-Graduação lato sensu da Escola de Direito da Universidade Católica de Brasília (UCB). Professora Pesquisadora em Direitos Humanos pela UCB. Membro da Comissão de Ciências Criminais e Segurança da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF).Advogada. Doutoranda em Educação pela UCB.Mestre em Direito Público pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás (UFG).Especialista em Direito Processual Penal e Direito Constitucional pela UFG.

 

Literatura Citada

ALVES, Léo da Silva. Curso de oratória forense. Brasília: Consulex, 2004.

ABREU, Maria Celia; MASETTO, Marcos Tarciso. O professor universitário em sala de aula. 11. ed. São Paulo: Editores Associados, 1997.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/icse/v2n2/08>. Acesso em: 15 jan. 2014.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. O problema de estudo na metodologia da problematização. Disponível em: <http://www.uel.br/pos/mestredu/images/stories/downloads/docentes/conheca_neusi_arq1.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2014.

BLAXTER, Loraine; HUGHES, Christina &TIGHT,Malcolm. How to research. Buckingham: Open University Press, 1996.

BELL, Judith. Doing your research project: a guide for firsttime researchers in education and social Science, second edition. Buchingham: Open University Press, 1993.

CARVALHO, Salo de. Como não se faz um trabalho de conclusão de curso. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

FIGUEIREDO, Antônio Macena; SOUZA, Soraia Riva Goudinho de. Como elaborar projetos, monografias, dissertações e teses: da redação científica à apresentação do texto final. 2. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 55. ed. rev. atual. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FURASTÉ, Pedro Augusto. Normas técnicas para o trabalho científico: explicitação das normas da ABNT. 16. ed. PortoAlegre: Dáctilo Plus, 2012.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUSTIN, Miracy Barbosa de Sousa; DIAS, Maria Teresa Fonseca. (Re) pensando apesquisa jurídica: teoria e prática. 3. ed. rev. atual. Belo Horizonte: Del Rey, 2010.

HENRIQUE, Antonio; MEDEIROS, João Bosco. Monografia no Curso de Direito: como elaborar o trabalho de conclusão de curso (TCC). 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. 5. ed. 5. reimp. São Paulo: Atlas, 2011.

MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Claudia Servilha. Manual de metodologia da pesquisa no direito. São Paulo: Saraiva, 2003.

MORAES, Maria Cândida. Ecologia dos saberes: complexidade, transdiciplinaridade e educação: novos fundamentos para iluminar novas práticas educacionais. São Paulo: Antakarana/ WHH – Willis HarmanHouse, 2008.

NUNES, Rizzatto. Manual da monografia jurídica. Como se faz: uma monografia, uma dissertação, uma tese. 9. ed. rev. São Paulo: Saraiva, 2012.

RATHS et al. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para estratégias de trabalho em aula. In: ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate (Org.). 10. ed. Joinville, SC: UNIVILLE, 2012.

RIBEIRO, Neide Aparecida. A pesquisa jurídica vista pelas estudantes Nathália e Cecília. Disponível em: <http://professoraneideaparecida.blogspot.com.br/>. Acesso em: 28 mar. 2013.

RODRIGUES, Rui Marinho. Pesquisa acadêmica: como facilitar o processo de preparação de suas etapas. São Paulo: Atlas, 2007.

SILVA, Antonio Ozaí. As dimensões da relação aprender-ensinar. Revista Espaço Acadêmico. Ano III, n. 25. Jun. 2003. Disponível em:<http://www.espacoacademico.com.br/025rea.htm>.Acesso em: 13 abr. 2014.