Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Temperatura Timpânica, Superficial e Retal e Frequência Respiratória de Ovinos da Raça Santa Inês e seus Cruzamentos com Ile de France e Suffolk em Piracicaba, Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.14269/2318-1265/jabb.v3n3p92-96

http://www.jabbnet.com/ 

downloadpdf

Bonifácio B. de Souza1, Nayanne L. B. Dantas1, Iran J. de O. da Silva2, Ivanete Susin2, Susana Gilaverte3, Fabiane de S. Costa2, Carlos E. Oltramari2 & Ariane C. de Castro2

 

Resumo: Objetivou-se avaliar as respostas fisiológicas da raça Santa Inês e seus mestiços com as raças Suffolk e Ile de France, em Piracicaba, Brasil. Foram utilizadas dezoito ovelhas distribuídas em delineamento experimental inteiramente casualizado no esquema fatorial 3 x 3, sendo 3 grupos raciais: Santa Inês (SI); ½ Santa Inês + ½ Suffolk (Su x SI), ½ Santa Inês + ½ Ile de France (Ile x SI) e 3 horários de observação: 7:00, 13:00 e 19:00 horas, com 6 repetições. Foram estudadas: temperatura retal (TR), temperatura superficial (TS), temperatura timpânica (TT) e frequência respiratória (FR). Os animais do grupo racial Ile x SI apresentaram menor TS às 7:00 horas em relação aos demais grupos raciais (P<0,05), entretanto apresentaram maior TS às 13:00 horas (P<0,05). A TT às 13:00 e 19:00 horas dos animais da raça Santa Inês foi inferior a dos demais grupos raciais (P<0,05). A TR das ovelhas do cruzamento Su x SI foi superior (P<0,05) a das ovelhas SI, não havendo diferença entre as ovelhas Su x SI e Ile x SI, bem como entre as ovelhas SI e Ile x SI. Para todos os grupos raciais a menor TR foi registrada pela manhã, não havendo diferença entre os horários das 13:00 e 19:00 horas. Os animais ½ Santa Inês + ½ Ile de France apresentam maior tolerância ao calor em relação aos mestiços ½ Santa Inês + ½ Suffolk.

Palavras-chave: calor, clima, cruzamento, estresse, ovelha

 

Abstract: The aim of this study was to evaluate the physiological responses of Santa Ines and its crossbreeds with Suffolk races and Ile de France in Piracicaba, Brazil. Eighteen ewes were used assigned to a completely randomized design in a factorial diagram (3 x 3, 3 breed group: Santa Inês (SI); ½ Santa Inês + ½ Suffolk (Su x SI), and ½ Santa Inês + ½ Ile de France (Ile x SI) and 3 times of observation: 07:00, 13:00 and 19:00 hours) with 6 repetitions. The ewes were used to evaluate: rectal temperature (RT), superficial temperature (ST), eardrum temperature (ET) and respiratory frequency (RF). The ST showed difference (P<0.05) among genetic groups, being Ile x SI the group that showed the lower mean at 07:00 and the greater at 13:00. For the ET the Santa Inês presented the lower mean (P<0.05) than the others, at 13:00 and 19:00. The group Su x SI was greater RT (P<0.05) than SI. The lowest RT was registered at the morning. There was no difference (P>0.05) between the 13:00 and the 19:00. The crossbreeding Ile x SI show greater heat tolerance than Su x SI.

Key words: heat, weather, crossbreeding, stress, sheep

 

1 Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Patos, PB, Brasil. Email: nayanne.lb@gmail.com 
2 Universidade de São Paulo (USP), Piracicaba, SP, Brasil
3 Universidade Federal do Paraná (UFPR), Brasil

 

Literatura Citada

Baêta FC, Souza C F (1997) Ambiência em edificações rurais e conforto térmico. Viçosa: UFV.

Baêta FC, Souza CF (2010) Ambiência em edificações rurais: conforto animal. 2ª ed. Viçosa: UFV.

Bernabucci U, Lacetera N, Baumgard LH, Rhoads RP, Ronchi B, Nardone A (2010) Metabolic and hormonal acclimation to heat stress in domesticated ruminants. Animal 4:1167–1183.

Buffington DE, Collazo-Arocho A, Canton GH, Pitt D, Thatcher WW, Collier RJ (1981) Black globe-humidity index (BGHI) as comfort equation for dairy cows. Transactions of the ASAE 24:711-714.

Costa, FS (2010) Características da carcaça e da carne de borregas de diferentes grupos genéticos submetidas ou não à infecção por Haemonchus contortus. Dissertação, Universidade de São Paulo.

Cruz Júnior CA (2012) Tolerância ao calor em ovinos reprodutores criados no Distrito Federal. Tese, Universidade de Brasília.

Cunha EA, Santos LE, Bueno MS (2008) Atualidades na produção de ovinos para corte. Nova Odessa: Instituto de Zootecnia.

Embrapa (2008) Sistema de Criação de Ovinos nos Ambientes Ecológicos do Sul do Rio Grande Do Sul. Disponível em: http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Ovinos/CriacaoOvinosAmbientesEcologicosSulRioGrandeSul/racas.htm. Acesso em: 21 de Maio de 2015.

Oliveira FMM, Dantas RT, Furtado DA, Nascimento JWB, Medeiros NA (2005) Parâmetros de conforto térmico e fisiológico de ovinos Santa Inês sob diferentes sistemas de acondicionamento. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 9:631-635.

Paiva SR, Silvério VC, Egito AA, McManus C, Faria DA, Mariante AS, Castro SR, Albuquerque MSM, Dergam J (2003) Caracterização genética da raça Santa Inês. In: Simpósio Internacional sobre Caprinos e Ovinos de Corte, João Pessoa. Anais... João Pessoa, EMEPA-PB, 1:487-499.

Queiroz EO, Macedo FAF, Barbosa OR, Zancanela V, Mora NHAP, Baliscei MA (2015) Parâmetros fisiológicos e desempenho para ovelhas Santa Inês e cordeiros ½ Dorper - Santa Inês nas estações verão e inverno. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal 16:199-209.

Silanikove N (2000) Effects of heat stress on the welfare of extensively managed domestic ruminants. Livestock Production Science 67:1-18.

Silva GA (2013) Avaliação do sistema de resfriamento adiabático evaporativo na melhoria do bem-estar de novilhas leiteiras em confinamento. Dissertação, Instituto de Zootecnia.

Souza BB, Batista NL, Silva IJO, Zotti CA, Ferreira EM (2012) Avaliação da temperatura timpânica para estudos bioclimáticos em ovinos deslanados. Agropecuária Científica no Semiárido 8:62-66.

Souza BB (2010) Índice de conforto térmico para ovinos e caprinos: índice de temperatura do globo negro e umidade registrado em pesquisas no Brasil. Farmpoint - ovinos e caprinos, 2010. Disponível em: http://www.cstr.ufcg.edu.br/bioclimatologia/artigos_tecnicos/indice_conforto_termico_ovinos_caprinos.pdf. Acesso em: 20 de Maio de 2015.

Souza BB, Souza ED, Cezar MF, Souza WH, Santos JRS, Benicio TM (2008) Temperatura superficial e índice de tolerância ao calor de caprinos de diferentes grupos raciais no semiárido nordestino. Ciência e Agrotecnologia 32:275-280.

Veríssimo CJ, Katiki LM, Bueno MS, Cunha EA, Mourão GB, Titto CG, Pereira AMF, Titto EAL (2009) Tolerância ao calor em ovelhas Suffolk e Ile de France antes e após a tosquia. Boletim de Indústria Animal 66:61-66.