Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Coreografia Urbana: Um Olhar Sobre as Potências da Cidade

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2318-1109/arqimed.v3n1p88-99

https://seer.imed.edu.br/index.php/arqimed/index 

downloadpdf

Débora S. Allemand1 & Eduardo Rocha2

  

Resumo: O trabalho busca encontrar as relações que são feitas entre o espaço e o corpo e como a Arquitetura pode influenciar no movimento do corpo. Como ler a cidade corporalmente? A pesquisa tem como foco o estudo da cidade através de grupos de dança que a utilizam, para compreender como os diferentes espaços geram diferentes corpos e movimentos. Foram pesquisados os seguintes grupos de dança: Trisha Brown, Dani Lima, Muovere Cia. de Dança, ...AVOA! e La Casa. O trabalho propõe-se a chamar a atenção para os corpos e para o movimento do espaço, abrindo possibilidade para uma nova forma de projetar. Assim, a arte é capaz de transgredir, possibilitando outro olhar sobre a cidade, criticando o "movimento automatizado" dos cidadãos. A metodologia utilizada é a Cartografia, pois ela busca acompanhar os processos, os efeitos que a investigação causa nos objetos pesquisados e no próprio autor do trabalho. Como resultados descobrem-se os motivos que levam os grupos de dança a intervir na cidade, além de entender que a dança pode ser um meio para construir dissensos, micro-resistências, combatendo a lógica das cidades espetaculares.

Palavras-chave: espaço urbano, dança, movimento, corpografia urbana, corpo.

 

Abstract: The work seeks to find relationships that are made between space and the body and how architecture can influence the movement of the body. How to read the city bodily? The research focuses on the study of the city through dance groups that use it, to understand how the different spaces generate different bodies and movements. The following dance groups were studied: Trisha Brown, Dani Lima, Muovere Dance Company, ...AVOA! and La Casa. The study aims to draw attention to the bodies and the space motion, opening the possibility for a new way of designing. Thus, art is able of transgressing, allowing another look over the city, criticizing the citizen automated movement. The methodology is Cartography because it seeks to monitor the processes and the effects that research in the objects studied and in the author's own work. As results we find the reasons leading Dance Groups to interview in the city, as well as understand that dancing can be a form to build dissent, micro-resistance, fighting the logic of spectacular cities.

Key words: urban space, dance, movement, urban bodygraphy, body.

 

1 Mestre em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas, UFPel, Rua Benjamin Constant, 1359, CEP 96010-020, Pelotas, RS, Brasil deborallemand@hotmail.com
2 Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas, UFPel, Rua Benjamin Constant, 1359, CEP 96010-020, Pelotas, RS, Brasil amigodudu@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

AVOA! Disponível em: http://www.nucleoavoa.com/nucleoavoa.com/quemsomos/index.html. Acessado em 07/01/14.

AGUIAR, Douglas Vieira de. Alma Espacial: o corpo e o movimento na arquitetura. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2010.

BRITTO, Fabiana Dultra; JACQUES, Paola Berenstein. Cenografias e Corpografias Urbanas: um diálogo sobre as relações entre corpo e cidade. In: Cadernos PPG-AU/FAUFBA. Vol. 1, n. 1. Salvador: FAUFBA: EDUFBA, 2003.

BRITTO, Fabiana Dultra. A ideia de Corpografia Urbana como pista de análise. Redobra, Salvador, EDUFBA, n° 12, ano 4, 2013.

BOMBASTICTELEFANTASTIC. Disponível em: http://bombastictelefantastic.blogspot.com.br/2011/05/laurie-anderson-trisha-brown-gordon.html. Acesso em: 06/01/14.

CARDOSO, Ricardo José Brügger. Inter-relações entre espaço cênico e espaço urbano. In: Evelyn F. W. Lima (Org.). Espaço e Teatro: do edifício teatral à cidade como palco. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.

CARREIRA, André. Teatro de Rua: Brasil e Argentina nos anos 1980: Uma paixão no asfalto. São Paulo: Aderaldo & Rothschild Editores Ltda., 2007.

CIA DANI LIMA. Disponível em: http://www.ciadanilima.com.br. Acessado em 07/01/14.

CLICRBS. Disponível em: http://pioneiro.clicrbs.com.br/rs/cultura-etendencias/noticia/2013/09/muovere-danca-noestacionamento-da-prefeitura-de-caxias-nestaquinta-as-19h-4273352.html. Acesso em: 07/01/14.

DOBBERT, Mariana. Da Arte para a Arquitetura: As práticas de Trisha Brown, Duane Michals e Bernard Tschumi como aproximações críticas ao espaço urbano contemporâneo. VIII EHA - Encontro de História da Arte, 2012. Disponível em: http://www.unicamp.br/chaa/eha/atas/2012/Mariana%20Dobbert.pdf, acessado em 06/01/14.

ESCOLA BURLESCA DE SÃO PAULO. Disponível em: http://escolaburlesca.blogspot.com.br/2010/12/cotidiano-vira-tema-de-espetaculo.html. Acesso em: 07/01/14.

FONSECA, Cacá; ROCHA, Edu. Zonas em compreensão + Encontros. In: Fabiana Dultra Britto; Paola Berenstein Jacques (Orgs.). Corpocidade: Debates, ações e articulações. Salvador: EDUFBA, 2010. Entrevista concedida a Revista Urbânia.

FUÃO, Fernando Freitas. O sentido do espaço. Em que sentido, em que sentido? In: Arq Texto 3-4, 2003. Disponível em: http://www.ufrgs.br/propar/publicacoes/ARQtextos/PDFs_revista_3-4/03_Fernando%20Freitas%20Fu%C3%A3o.pdf. Acesso em: 26/06/14.

GRUPO TÁ NA RUA. História. Disponível em: http://www.tanarua.art.br/2011/historia-2/. Acesso em: 04/12/12.

HISTÓRIA DA DANÇA UFPEL. Disponível em: http://historiadadancaufpel.blogspot.com.br/p/coreografos-internacionais.html. Acessado em 07/01/14.

JACQUES, Paola Berenstein. Estética da Ginga: a arquitetura das favelas através da obra de Hélio Oiticica. Rio de Janeiro: Casa das Palavras, 2003.

JACQUES, Paola Berenstein; BRITO, Fabiana Dultra. Corpografias urbanas: relações entre o corpo e a cidade. In: Evelyn F. Werneck Lima (org.). Espaço e teatro: do edifício teatral à cidade como palco. Rio de Janeiro: 7letras, 2008.

JACQUES, Paola Berenstein. Zonas de Tensão: em busca de micro-resistências urbanas. In: Fabiana Dultra Britto; Paola Berenstein Jacques (Orgs.). Corpocidade: Debates, ações e articulações. Salvador: EDUFBA, 2010.

JACQUES, Paola Berenstein. Experiências metodológicas para apreensão da cidade contemporânea. Redobra, Salvador, EDUFBA, n° 12, ano 4, 2013.

JESUS, Thiago Silva de Amorim. Corpo, Ritual, Pelotas e o Carnaval: uma análise dos desfiles de rua entre 2008 e 2013. Tese do Curso de Doutorado em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina. Palhoça, SC: UNISUL, 2013.

KATZ, Helena & GREINER, Christine. A natureza cultural do corpo. In: SOTER, Silvia & PEREIRA, Roberto. (org.) Lições de Dança 3. Rio de Janeiro: UniverCidade Editora, 2002.

MENDES, Eloísa Brantes. Cidades Instáveis: Intervenção Artística Como Experiência Heterotópica Do Espaço Urbano. In: O Percevejo online v. 4 n° 2.

PPGAC/UNIRIO. 2012. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/opercevejoonline/article/view/2916, acessado em 06/01/14.

MIRANDA, Regina. Corpo-espaço: aspectos de uma geofilosofia do movimento. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.

PEREIRA, Margareth da Silva. In: Fabiana Dultra Britto; Paola Berenstein Jacques (Orgs.). Corpocidade: Debates, ações e articulações. Salvador: EDUFBA, 2010. Entrevista concedida a Edu Rocha e Joubert Arrais.

PROYECTO LA CASA. Disponível em: http://proyectolacasa.blogspot.com.br. Acessado em 08/01/14.

RECKZIEGEL, Ana Cecília de Carvalho; STIGGER, Marco Paulo. Dança de rua: opção pela dignidade e compromisso social. In: Revista Movimento, Porto Alegre, v. 11, n. 2, 2004.

RENNÓ, Sílvia de Alencar. Existe uma experiência estética do usuário nos discursos da arquitetura contemporânea?: Aproximações a partir das categorias críticas de Peter Eisenman e Bernard Tschumi. Dissertação do Curso de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte: 2006.

SANTOS, Analu Silva dos. Dança de Rua: a dança que surgiu nas ruas e conquistou os palcos. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física), UFRGS, Porto Alegre.

SANTOS, Carlos. Muovere Desvio. Blog do Núcleo de Pesquisa em História da UFRGS. 2012. Disponível em: http://nph-ufrgs.blogspot.com.br/2012/04/muoveredesvio.html, acessado em 20/12/13.