Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Gestão Ambiental: Práticas, Condicionantes e Evolução

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v2n2p138-150

https://seer.imed.edu.br/index.php/raimed/index 

downloadpdf

Marta C. Ferreira1

  

Resumo: O modelo atual de desenvolvimento econômico transforma espaços naturais e interfere no meio ambiente, podendo apresentar resultados catastróficos tanto nos ecossistemas quanto na qualidade de vida humana. Portanto, um modelo produtivo que concilie desenvolvimento econômico e proteção ambiental, há muito tempo, tornou-se imperativo. Este artigo, de cunho teórico, se propõe a partir da discussão da responsabilidade ambiental das empresas, identificar a evolução das práticas ambientalmente saudáveis, bem como os aspectos condicionantes na formulação da estratégia empresarial. Por fim, entende-se que as estratégias, decorrem, principalmente, de pressões normativas e institucionais do ambiente ao qual as organizações estão expostas. A partir dessas pressões que as organizações têm recebido de stakeholders relevantes para implantar uma gestão com base em princípios ambientalmente responsáveis, há indícios de implicações na melhoria da gestão, levando as empresas a convergirem esforços para serem mais proativas, inovadoras e sustentáveis.

Palavras-chave: Gestão ambiental; meio ambiente; condicionantes; empresa.

 

Abstract: The current model of economic development transforms spaces and interferes with the natural environment, which may have catastrophic results both in ecosystems and the quality of human life. Therefore, a model that reconciles economic development and environmental protection, long ago, it became imperative. This article, theoretical, is proposed based on the discussion of corporate environmental responsibility, identify the evolution of environmentally sound practices, constraints and issues in the formulation of business strategy. Finally, it is understood that the strategies, stem mainly from the pressures of regulatory and institutional environment to which organizations are exposed. The pressures from these organizations have received from relevant stakeholders to implement management principles based on environmentally responsible, there are implications for the improvement of management, leading companies to converge efforts to be more proactive, innovative and sustainable.

Key words: Environmental management, environment, constraints; company.

 

1 Professora do curso de Administração da Faculdade de Ciências e Educação de Rubiataba - FACER marta.cleia@hotmail.com

 

Literatura Citada

Abreu, M. C. S., Varvakis, G., & Fugueiredo Jr, H. S. (2002). Modelo de avaliação da estratégia ambiental: os perfis de conduta estratégica. Revista Eletrônica de Administração (REAd), 8(6), 139-164.

Alperstedt, G. D., Quintella, R. H., & Souza, L. R. (2010). Estratégias de gestão ambiental e seus fatores determinantes: uma análise institucional. Revista de Administração de Empresas (RAE), 50(2), 170-186.

Andrade, M. C. F. (2010). Green supply chain management e sustentabilidade na agroindústria canavieira: o caso Jalles Machado S/A. São Leopoldo, RS, Brasil. Dissertação de Mestrado. Centro de Ciências Econômicas da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), 135 p.

Barbieri, J. C. (2004). Gestão ambiental empresarial. São Paulo: Saraiva.

Barbieri, J. C., Vasconcelos, I. F. G., Andreassi, T., & Vasconcelos, F. C. (2010). Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas (RAE), São Paulo, 50(2), 146-154.

Binttencourt, E., & Carrieri, A. (2005). Ideologia, poder e discurso na lógica empresarial. Revista de Administração de Empresas (RAE), 45, 10-22.

Bloemhof, J., & Van Nunen, J. (2005). Integration of environmental management and scm. Erasmus Research Institute of Management (ERIM), 030.

Bonilla, S. H., Ameida, C. M. V. B., Giannetti, B. F., Huisingh, D. (2010). The roles of cleaner production in the sustainable development of modern societies: an introduction to this special issue. Journal of Cleaner Production, 18, 1–5.

Campos, L. M. S., Grzebieluckas, C., & SELIG, P. M. (2009). As empresas com certificação ISO 14001 são mais rentáveis? uma abordagem em companhias abertas no Brasil. Revista de Administração (REAd), 15(1).

Claro, P. B. O., Claro, D. P., & Amâncio, R. (2008). Entendendo o conceito de sustentabilidade nas organizações. São Paulo, Revista de Administração (RAUSP), 43(4), 289-300.

Donaire, D. (1994). Considerações sobre a influência da variável ambiental na empresa. Revista de Administração de Empresas, 34(2), 68-77.

González-Benito, J, & González-Benito, O. (2005). Environmental proactivity and business performance: an empirical analysis. Omega: International Journal of Management Science, 33(1) , 1-15.

Hall, J. (2000). Environmental supply chain dynamics. Journal of Cleaner Production, 8. 455–471.

Hur, T., Kim, I., & Yamamoto, R. (2004). Measurement of green productivity and its improvement. Journal of Cleaner Production, 12, 673–683.

Jabbour, C. J. C., & Santos, F. C. A. (2006). A gestão ambiental na empresa por meio da articulação de equipes: uma perspectiva integrada e evolutiva. Revista de Administração (REAd).12(4).

C. J. C., & Santos, F. C. A. (2007). Desenvolvimento de produtos sustentáveis: o papel da gestão de pessoas. Revista de Administração Pública (RAP), Rio de Janeiro, 41(2), 283-307.

Jabbour, C. J. C., Santos, F. C. A., & Nagano, M. S. (2009). Análise do relacionamento entre estágios evolutivos da gestão ambiental e dimensões de recursos humanos: estado da arte e survey em empresas brasileiras. Revista de Administração (RAUSP), São Paulo, 44(4), 342-364.

Lewis, H. (2005). Defining product stewardship and sustainability in the Australian packaging industry. Environmental Science & Policy, 8, 45–55.

Moysés, J. E., Rodrigues, A. L., & Moretti, L. A. (2011). Gestão social e ambiental em pequenas e médias empresas: influência e poder dos stakeholders. Revista de Administração (REAd)– Edição 68, 17(1), 204-236.

Orsato, R. J. (2002). Posicionamento ambiental estratégico. identificando quando vale a pena investir no verde. Revista de Administração (REAd), 8(6).

Pedroso, M. C., & Zwicker, R. (2007). Sustentabilidade na cadeia reversa de suprimentos: um estudo de caso do Projeto Plasma. Revista de Administração (RAUSP), 42(4), 414-430.

Polizelli, D. L., Petroni, L. M., & Kruglianskas, I. (2005). Gestão ambiental nas empresas líderes do setor de telecomunicações no Brasil. Revista de Administração (RAUSP), São Paulo, 40(4), 309-320.

Porter, M. E., & Linde, C. V. D. (1999). Green and competitive: ending the stalemate. Journal of Business e Administration, Annual.

Rahman, M. N. A., Hernadewita, Deros, B. M., & Ismail, A. R. (2009). Cleaner production implementation towards environmental quality improvement. European Journal of Scientific Research, 30(2), 187-194.

Rohrich, S. S., & Cunha, J. C. (2004). A proposição de uma taxonomia para análise da gestão ambiental no Brasil. Revista de Administração Contemporânea (RAC), 8(4), 81-97.

Souza, R. S. (2002). Evolução e condicionantes da evolução ambiental nas empresas. Revista de Administração (REAd), 8(6).